Videos

Publicado em 28 de jan de 2016. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (27) aponta também que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 com relação ao vírus Zika. Outros 462 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 4.180 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 23 de janeiro.

Presidente do Lafepe tem agenda na embaixada de Cabo Verde

Na tarde desta terça-feira (15.08), o presidente do Lafepe, Flávio Gouveia, foi recebido na residência oficial do embaixador de Cabo Verde, em Brasília. O diplomata Domingos Mascarenhas  esteve com o gestor do laboratório pernambucano um mês após a visita, no Lafepe, do secretário geral da Câmara de Comércio, Indústria e Turismo Brasil – Cabo Verde, Getro Gomes; que também participou do encontro de ontem, na embaixada, assim como o diretor Comercial do Lafepe, Djalma Dantas.

            A reunião desta terça-feira representou um novo passo nas tratativas de firmar parcerias de inclusão do Lafepe como fornecedor nas políticas de Saúde Pública do país africano, contribuindo para a qualidade de vida e ampliando oportunidades à população de Cabo Verde.

            A proposta de intercâmbio social e econômico contempla medicamentos produzidos pelo laboratório pernambucano, dentre eles, os antirretrovirais e psicotrópicos vendidos ao Ministério da Saúde e distribuídos gratuitamente à população. Os óculos do Lafepe também estão contemplados na pauta de interesses, visto que representam opções de qualidade, com preços acessíveis.

            O embaixador Domingos Mascarenhas, além de enfatizar a importância de evoluir nas negociações de parcerias, demonstrou interesse em visitar o Lafepe.

CABO VERDE – É um país africano, com população acima de  500 mil habitantes que vivem em uma área de 4.030 km². Está localizado num arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas, na região central do Oceano Atlântico.

Fonte: Comunicação Lafepe

Vital Brazil promove evento científico para alunos do Ensino Médio Inscrições acontecem até o dia 20 de agosto



No dia 26 de agosto, o Instituto Vital Brazil, em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), UniRio, Colégio Salesiano Santa Rosa, Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Desenvolvimento e Inovação em Ensino de Ciências (Dieci) e a Fiocruz, realizam o II Congresso Científico Tecnológico para o Ensino Médio. O evento, que acontece no Colégio Salesiano Santa Rosa, tem como objetivo promover a divulgação científica para alunos do Ensino Médio e professores das áreas Ciências da Natureza e Matemática. O congresso contará com a participação de 30 escolas públicas e particulares do entorno da sede do Vital Brazil, em Niterói. As inscrições devem ser feitas até o dia 20 de agosto por meio do site www.salesianoniteroi.com.br/SR. As vagas são limitadas e os inscritos deverão levar 1kg de alimento não perecível para a entrada no evento. O público-alvo são alunos do Ensino Médio e Professores de Biologia, Física, Matemática e Química.

Desde 2013, o Instituto Vital Brazil desenvolve o Projeto Jovem Cientista com alunos do Ensino Médio. O objetivo é estimular e desenvolver talentos, ainda na educação básica, capazes de contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. Os alunos selecionados são inseridos nos laboratórios do Instituto Vital Brazil e da Universidade Federal Fluminense, parceira no Projeto, onde desenvolvem projetos por todo o Ensino Médio. O congresso foi criado a partir de demandas do Projeto Jovem Cientista. A programação do evento inclui mesas redondas, palestras e oficinas voltadas para os alunos e seis voltadas para os professores.

Instituto – O Instituto Vital Brazil (www.vitalbrazil.rj.gov.br) é uma instituição de ciência e tecnologia do Governo do Estado do Rio de Janeiro ligado à Secretaria de Estado de Saúde. É um dos 21 laboratórios oficiais brasileiros, um dos quatro fornecedores de soros contra o veneno de animais peçonhentos e produtor de medicamentos estratégicos para o Ministério da Saúde.

--
Thaís Marini
+55 (21) 98596-6823 / 99662-2965


Assessoria de Comunicação
Instituto Vital Brazil
Rua Maestro José Botelho, 64, Vital Brazil, Niterói/RJ – CEP: 24.230-410
Tel: +55 (21) 2711-9223, ramal 187 / Fax: +55 (21) 2711-9092

Conferência internacional sobre energia inteligente recebe expositores e patrocinadores


A Conferência Internacional de Energias Inteligentes – Smart Energy (CIEI&EXPO 2017) chega a sua quarta edição, apresentando as principais novidades do setor e ampliando o debate sobre a importância das energias sustentáveis no Brasil e no mundo. Interessados em expor no evento ou patrocinar a conferência, promovida pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), já podem se inscrever.

A novidade desta edição, realizada em outubro, são os espaços segmentados chamados de “Ilhas Temáticas”, divididas em setor empresarial, academia e instituições públicas. Cada Ilha Temática vai apresentar tendências e inovações das áreas de redes inteligentes e energias renováveis.

Já a proposta do espaço de exposição é proporcionar a aproximação entre fabricantes, prestadores de serviços e consumidores. Outras novidades desta edição são a rodada de negócio com foco empresarial, a Feira de Ciências, voltada ao público jovem, e a apresentação de trabalhos técnicos desenvolvidos por universitários e pesquisadores de uma forma geral.

A CIEI&EXPO2017 espera receber empresários, gestores públicos, membros de agências e entidades de governo, fabricantes, fornecedores, instaladores, consultores, professores, pesquisadores, estudantes e consumidores. Informações sobre exposição e patrocínio podem ser obtidas pelo e-mail comercial@smartenergy.org.br e pelos telefones (41) 3362-6622 e (41) 99679-5837.

Inscrições para participação
A conferência é promovida pelo Tecpar e pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), organizada pela Paraná Metrologia e conta com o apoio dos Institutos Lactec e da Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre).

O evento é realizado de 18 a 20 de outubro, das 8h às 21h, no Espaço de Exposições Horácio Coimbra, na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). As inscrições podem ser feitas pelo sitesmartenergy.org.br/2017.

Smart Energy Paraná
O Tecpar realiza a secretaria executiva do programa Smart Energy Paraná, que mobiliza as competências que o Estado e a sociedade já têm e busca por novas competências para desenvolver o setor energético do ponto de vista econômico, ambiental e social no Paraná.
No Smart Energy Paraná, o Tecpar homologa as diferentes tecnologias disponíveis no mercado para apresentar à sociedade aquelas já testadas pelo instituto, com geração de dados e capacitação de mão de obra local para atrair investimentos nesta área para o Paraná.

Saiba mais sobre os programa Smart Energy Paraná pelo site smartenergy.org.br/portal.

Serviço
Conferência Internacional de Energias Inteligentes – Smart Energy (CIEI&EXPO 2017)
Data: De 18 a 20 de outubro
Local: Espaço de Exposições Horácio Coimbra na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), na Avenida Comendador Franco, 1341 – Jardim Botânico
Inscrições: Pelo site smartenergy.org.br/2017

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Tecpar e Prefeitura de Maringá formalizam escritura de terreno de parque biotecnológico


O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e a Prefeitura Municipal de Maringá assinaram a escritura do terreno de 95,5 mil metros quadrados onde será implantando o Parque Biotecnológico da Saúde do instituto na cidade. Além da escritura, foi assinado também o protocolo de intenções para que o processo licitatório da construção do empreendimento seja iniciado em breve.

A escritura do terreno foi assinada nesta quinta-feira (10) entre o diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, e o prefeito de Maringá, Ulisses Maia, na sede da prefeitura municipal. Em um primeiro momento, o Tecpar vai construir uma fábrica de finalização de medicamentos e vacinas, que dará suporte à produção da vacina antirrábica, já produzida pelo instituto, e aos demais medicamentos biológicos que serão produzidos.

A unidade de fill and finish tem como objetivo realizar a formulação, envase, embalagem e armazenamento de medicamentos injetáveis produzidos pelo instituto. Nos próximos anos, novas plantas biológicas serão instaladas no local. O Parque Biotecnológico do Tecpar vai ocupar dois terrenos cedidos pela Prefeitura, em substituição à área que já havia sido doada em 2013 pelo Poder Executivo municipal. A troca se deu para melhor se adequar aos novos projetos do instituto. O novo terreno é constituído pelas quadras 18 e 19, ambas localizadas na quarta parte da zona fiscal 61 do Parque Industrial Cidade de Maringá, com áreas respectivas de 51,3 mil metros quadrados e 44,1 mil m².

O diretor-presidente do Tecpar ressaltou que a assinatura da escritura vai descentralizar ainda mais a atuação do instituto e transformar Maringá em um polo farmacêutico biotecnológico. “Estamos na cidade há quase 30 anos e pretendemos reforçar ainda mais os laços com o município. O parque vai gerar empregos e absorver mão de obra qualificada na área da saúde”, ressalta.

O prefeito destacou que o momento representa a celebração de um processo de transformação que o município atravessa na área da inovação, da ciência e da tecnologia. “Esse esforço foi feito pelo Poder Executivo e pela Câmara Municipal para garantir que sejam gerados empregos qualificados em Maringá e que a cidade continue se desenvolvendo”, justifica Maia.

Produção de biológicos
O Tecpar se tornou responsável por fornecer novos medicamentos ao Ministério da Saúde após publicação do órgão no Diário Oficial da União, no dia 4 de agosto de 2017. Um dos produtos que serão fabricados em Maringá é o Trastuzumabe, medicamento usado para o tratamento do câncer e que hoje é importado pelo Brasil. O acordo para a transferência de tecnologia foi assinado no início de agosto pelo governador Beto Richa, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, João Carlos Gomes, com o laboratório Roche e a empresa brasileira Axis Biotec.

O acordo de transferência de tecnologia é uma das etapas do programa de Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), do Ministério da Saúde. O programa visa fortalecer a indústria farmoquímica nacional e estimular a produção no Brasil de medicamentos distribuídos no SUS.

A empresa detentora da patente do Trastuzumabe é a suíça Roche, maior companhia de medicamentos do mundo. No acordo assinado, o laboratório suíço transferiu a tecnologia para o Tecpar e para a Axis Biotec, empresa brasileira privada que possui a exclusividade para a transferência do medicamento em território nacional e é parceira do Tecpar.

Novos medicamentos
O Tecpar foi aprovado junto ao Ministério da Saúde, conforme Diário Oficial da União, para fornecer outros quatro produtos biológicos estratégicos para o SUS, que até então eram importados: Infliximabe, Rituximabe, Adalimumabe e Bevacizumabe.

Ainda em julho, o Tecpar submeteu no Ministério da Saúde sete novos projetos de Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) para concorrer à Portaria 704/17, que apresenta a lista de novos produtos estratégicos para o SUS. Dos sete projetos, três são de biológicos, três de medicamentos sintéticos e um de hemoderivados.

O Tecpar atua agora na entrega de projetos de Encomenda Tecnológica, ferramenta do Complexo Econômico Industrial da Saúde para realizar atividades de desenvolvimento de produtos que envolvam risco tecnológico ou para a entrada de inovação tecnológica no SUS. Os projetos em estudo são de plataformas viral, de vacina e de biológicos inovadores para o tratamento de câncer (em complementaridade aos demais projetos de biológicos já entregues).

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Tecpar vai fornecer remédio para tratamento do câncer ao SUS



O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), do Governo do Estado, passará a produzir e fornecer ao Sistema Único de Saúde (SUS) o Trastuzumabe, medicamento usado para o tratamento do câncer e que hoje é importado pelo Brasil. O acordo para a transferência de tecnologia foi assinado nesta segunda-feira (7) pelo governador Beto Richa, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, João Carlos Gomes, com o laboratório Roche e a empresa brasileira Axis Biotec. Até 2019, o Tecpar será o único fornecedor nacional da medicação. Depois disso, fornecerá 40% da demanda do SUS.

Na solenidade, realizada no Palácio Iguaçu, o governador afirmou que iniciativas como essa são essenciais para o sistema público de saúde do Paraná e do Brasil. “Com esta importante parceria entre o governo estadual, o Ministério da Saúde e as empresas vamos avançar ainda mais na produção deste e de vários outros medicamentos”, afirmou. “O Paraná tem dado grandes exemplos para o Brasil, em especial na área de saúde”.

Processo
O acordo de transferência de tecnologia é uma das etapas do programa de Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), do Ministério da Saúde. O programa visa fortalecer a indústria farmoquímica nacional e estimular a produção no Brasil de remédios distribuídos no SUS. “Neste tipo de convênio, uma determinada empresa transfere o conhecimento de como desenvolveu o produto para um laboratório público e este, em sociedade com um laboratório privado, absorve a tecnologia e passa a produzir no Brasil”, explicou Ricardo Barros.

A empresa detentora da patente do Trastuzumabe é a suíça Roche, maior companhia de medicamentos do mundo. No acordo assinado hoje, o laboratório suíço transferiu a tecnologia para o Tecpar e para a Axis Biotec, empresa brasileira privada que possui a exclusividade para a transferência do medicamento em território nacional e é parceira do instituto paranaense.

O Ministério da Saúde aprovou o Tecpar para fornecer 40% da demanda do SUS com o Trastuzumabe, o que representa 103 mil doses por ano. Entretanto, como a patente do produto só perde a validade em 2019, o Tecpar negocia diretamente com a Roche para fornecer 100% do medicamento até lá. Com a queda da patente, outros laboratórios públicos escolhidos pelo Ministério da Saúde podem também fornecer o remédio.

Plataforma diversificada
Segundo o diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, a assinatura do acordo decorre de um esforço iniciado em 2012 para o instituto diversificar sua plataforma tecnológica na área da saúde. “Passamos a atender demandas explícitas do Ministério da Saúde. É um passo importante para o Tecpar e para o Complexo Econômico Industrial da Saúde. O Instituto de Tecnologia do Paraná vai fornecer produtos estratégicos para o País, com consequente redução de custo ao SUS”, disse ele.

A parceria, disse o secretário João Carlos Gomes, representa um grande avanço para a área da saúde e também melhora o acesso da população a remédios importantes. “São medicamentos caros, que muitas vezes não estão disponíveis para a população, mas que, a partir do momento que começam a ser produzidos no Brasil, se tornam mais acessíveis a todas as pessoas que dependem deles”, disse.

Produtos
O Tecpar foi aprovado junto ao Ministério da Saúde para fornecer outros quatro produtos biológicos estratégicos para o SUS, que até então eram importados: Infliximabe, Rituximabe, Adalimumabe e Bevacizumabe.

Ainda em julho, o Tecpar submeteu no Ministério da Saúde sete novos projetos de Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) para concorrer à Portaria 704/17, que apresenta a lista de novos produtos estratégicos para o SUS. Dos sete projetos, três são de biológicos, três de medicamentos sintéticos e um de hemoderivados.

O Tecpar atua agora na entrega de projetos de Encomenda Tecnológica, ferramenta do Complexo Econômico Industrial da Saúde para realizar atividades de desenvolvimento de produtos que envolvam risco tecnológico ou para a entrada de inovação tecnológica no SUS. Os projetos em estudo são de plataformas viral, de vacina e de biológicos inovadores para o tratamento de câncer (em complementaridade aos demais projetos de biológicos já entregues).

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Um país não pode se desenvolver sem investimento em conhecimento Júlio C. Felix Diretor-Presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)



É plenamente sabido e aceito que as nações que adotam políticas efetivas de ciência, tecnologia e inovação, costumam investir entre 2% e 4% do PIB nessas áreas. Não é o caso do Brasil, que jamais chegou perto de 2%, tendo ficado em torno de 1% ou um pouco mais, situação que vem regredindo. O Brasil vive hoje um momento de muita preocupação em toda a comunidade científica e tecnológica.

A pergunta recorrente é sobre como lidar com os contingenciamentos para a área, que neste ano sofre um corte de 44% no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Como explicar, por exemplo, o fechamento, por falta de recursos, da Fundação de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (Cientec) e da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec).

Hoje, não são empenhados esforços para melhorar as boas práticas de gestão nas organizações de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Ao contrário, elas vêm sendo fortemente tolhidas, em todos os aspectos. O descaso do Estado tira o sangue que supre esse paciente em situação quase terminal. Em vez de equacionar serenamente o grave problema, está-se aniquilando as possíveis soluções.

É preciso buscar saídas. O Brasil é um país em que o Estado é o maior comprador. E esse poder de compra do pode ajudar a alavancar a ciência e tecnologia.

Há exemplos muito recentes, como os do Ministério da Saúde, que usa o poder de compra para desenvolver medicamentos inovadores e tem apoiado a transferência de tecnologia para que criemos realmente no País a possibilidade de reduzir o custo para a saúde pública.

Somente por meio das Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDP), aprovadas em 2013, o Ministério economizou em torno de 60% na compra de medicamentos biológicos, que estão entre os mais caros  e são usados para tratar doenças graves como artrite reumatoide e diversos tipos de câncer. Este é o uso benéfico da compra do Estado.

Sem minimizar o papel das universidades, os institutos e centros de pesquisa são particularmente importantes, especialmente nesse momento em que se apresentam novas formas de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação - como a Internet das Coisas (IoT, da sigla em inglês), Indústria 4.0, Agricultura 4.0, Startups, Fab. Labs, Inovação Aberta, Pesquisa Cooperativa e outras.

Os institutos e centros de pesquisa nesse cenário desempenhariam um papel crucial entre as atividades de pesquisa científica nas universidades e as novas demandas do setor produtivo. No entanto, o estado falimentar em que se encontram não permite que esse papel seja exercido a contento, inclusive no que respeita à cooperação internacional, onde estamos perdendo boas chances de desenvolvimento de tecnologias que interessam estrategicamente ao País.

Outra saída para a área da ciência, tecnologia e inovação é utilizar recursos que não sejam do orçamento, que está sempre suscetível a cortes. Um exemplo são os fundos setoriais de CT&I, como o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Diante de um cenário instável, o único caminho para amenizar a situação é o uso dos fundos. Entretanto, eles também viraram uma peça orçamentária. Ou seja, uma peça de ficção. Assim, o problema está na falta de previsibilidade, não somente de indisponibilidade de recursos.

O sistema bancário, por sua vez não têm uma estratégia de atuar no contexto da pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação; os que o fazem atuam como agentes do BNDES, mas não com o dinamismo que a economia do País poderia esperar. É imprescindível no financiamento à PD&I que aos recursos públicos se somem os instrumentos privados de crédito, incluindo os fundos de riscos, com se depreende do cenário internacional

Está claro que o maior problema da ciência, tecnologia e inovação atualmente não está só na falta de recursos, mas na falta de compreensão da importância do setor por parte dos órgãos que deveriam apoiá-lo. Sem conhecimento, não há como desenvolver o País, em bases sustentáveis.

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)

(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Fórum nacional discute inovação na área de produtos para saúde

No dia 24 de agosto, o Senado Federal recebe o VI Fórum Nacional de Produtos para Saúde. O evento aborta o tema “Inovação na Prática” como forma de garantir a promoção da saúde no Brasil
Cada vez mais utilizados em procedimentos médicos, odontológicos e fisioterápicos - diagnóstico, tratamento, reabilitação e monitoramento de pacientes -, os produtos para saúde estão ligados diretamente ao cotidiano da população. A área se expande, inova e ocupa espaço importante na economia brasileira. Com objetivo de ampliar a discussão de temas que envolvem a produção e a implantação de novos produtos no campo da saúde, com ênfase à pesquisa de novas tecnologias, o Programa Ação Responsável realiza, no próximo dia 24, em Brasília, a quarta edição do Fórum Nacional de Produtos para Saúde - Inovação na Prática. O propósito é debater e dar conhecimento de como a inovação pode ser útil na prática.
Formados por um grande universo de itens, com diferentes níveis de complexidade, os produtos para saúde exercem papel fundamental na melhoria contínua das condições de saúde da população. Melhoria que depende de tecnologias médicas avançadas e incorporadas pelos sistemas de saúde. No Brasil, esses produtos representam 3,7% do total de gastos com saúde, com uma participação de 0,6% no PIB, mais de 13 mil empresas e cerca de 140 mil empregos. Nesse sentido, fortalecer as indústrias locais, por meio da implantação e aprimoramento das políticas de incentivos em pesquisa e desenvolvimento, inovação incremental e educação continuada, reflete diretamente na ampliação do acesso da população à saúde.
Dividido em três painéis temáticos - “Qual o valor da Inovação?”, “Custos x Inovação” e “Fatores que influenciam a inovação no Brasil” -, IV Fórum Nacional de Produtos para Saúde promete movimentar o auditório do Interlegis (Senado Federal), a partir das 9h. As inscrições são gratuitas em www.acaoresponsavel.org.br.
O fórum também será transmitido ao vivo, via vídeo setreaming no site do Interlegis e por meio de vídeo conferência para as Assembleias Legislativas.
Serviço: IV Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil - Inovação na Prática
Data: 24 de agosto de 2017, a partir das 9h
Local: Senado Federal - Auditório Senador Antonio Carlos Magalhães (Interlegis), N2
Inscrições gratuitas: www.acaoresponsavel.org.br
Realização: Instituto Brasileiro de Ação Responsável
Promoção: Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (ABIIS)
Coordenação: Agência Íntegra Brasil
Público alvo: Governos (Poder Legislativo, Executivo e Judiciário); Setor Privado (Indústrias e Comércio); Profissionais de Saúde; Redes Virtuais; Mídias Impressas; Instituições Nacionais e Internacionais; Setor Acadêmico e Terceiro Setor.
Mais informações: (61) 3368-6044 e 3468-5696, seminarios@acaoresponsavel.org.br
Assessoria de Imprensa
Etcetera Comunicação
Denise Margis e Marina Figueiredo
(61) 3573-4992 | 99114-4584 | 99170-0606

Visão do Futuro: 141 óculos de graça para alunos da rede pública


            Até a próxima semana, serão entregues 141 óculos a estudantes de escolas públicas beneficiados pelo projeto Visão do Futuro. A cerimônia de entrega simbólica esta marcada para amanhã, às 10h,  na biblioteca do Centro Comunitário da Paz - o Compaz, do Alto Santa Terezinha, no Recife. Na ocasião, oito estudantes  receberão os óculos das mãos de parceiros do projeto. Gestores das escolas contempladas  ficarão responsáveis em dar continuidade às entregas, nas unidades de ensino.

            Esses óculos foram indicados em atendimentos oftalmológicos que aconteceram, também no Compaz, há cerca de dois meses. Os alunos com necessidade de lentes corretivas já puderam escolher as armações e tirar as medidas para produção das lentes, logo após as consultas.

            O projeto Visão do Futuro foi formatado por profissionais do Lafepe, aprovado e financiado pelo Banco Itaú, tendo como parceiras as secretarias de Saúde e Educação da rede estadual e do Recife, a Secretaria de Segurança Urbana do Recife, além de equipe da Fundação Altino Ventura. No foco, alunos de sete escolas públicas situadas no entorno do Compaz - Alto Santa Terezinha.

            A entrega dos óculos, na próxima quinta-feira,  representará a quarta fase do projeto. A primeira atividade foi a capacitação de professores para triar os alunos nas escolas selecionadas. Esse treinamento foi executado por profissionais da Fundação Altino Ventura. Em seguida, estudantes foram tecnicamente avaliados, nas unidades de ensino, com o uso da escala optométrica: um diagrama utilizado para medir a acuidade visual. Do universo de 3.500 estudantes, cerca de 330 alunos, identificados com dificuldades na visão, foram encaminhados para atendimento especializado.

            Em setembro, o Compaz abrigará o segundo mutirão de atendimentos oftalmológicos, contemplando alunos da rede pública da zona norte do Recife.

Fonte: Comunicação Lafepe

Tecpar apoia seminário sobre embalagem e sustentabilidade


O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) é um dos parceiros do Seminário de Embalagem e Sustentabilidade, realizado em agosto pela Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre). O público-alvo do evento são profissionais da indústria, universidades e órgãos de fiscalização.

As palestras e os painéis do seminário, que buscam promover a discussão sobre um dos grandes problemas ligados à poluição, o excesso de embalagens, serão realizados nos dias 16 e 17 de agosto, no Centro de Eventos da Fiep.

Os três painéis, realizados no dia 16, abordarão a sustentabilidade na cadeia de fornecedores, os projetos de embalagens sustentáveis e a reciclagem dos materiais. Já no dia 17, as palestras tratarão sobre a cadeia logística, o design para sustentabilidade, a reciclagem de embalagens laminadas, entre outros temas.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site goo.gl/52QTQ7. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail adm@unlivre.org.br ou pelo telefone (41) 3254-3734.

Além do Tecpar, apoiam o Seminário de Embalagem e Sustentabilidade, realizado pela Unilivre, a Associação Brasileira de Embalagens (Abre) e a Rede Paranaense de Metrologia e Ensaios (Paraná Metrologia).

Serviço
Seminário de Embalagem e Sustentabilidade
Data: 16 e 17 de agosto
Local: Centro de Eventos da Fiep (Avenida Comendador Franco, 1.341 – Jardim Botânico)
Inscrições: Pelo sitegoo.gl/52QTQ7
Informações: Pelo e-mail adm@unlivre.org.br ou pelo telefone (41) 3254-3734

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Conferência internacional sobre energia inteligente já recebe inscrições


A Conferência Internacional de Energias Inteligentes – Smart Energy (CIEI&EXPO 2017) chega a sua quarta edição, apresentando as principais novidades do setor e ampliando o debate sobre a importância das energias sustentáveis no Brasil e no mundo. As inscrições para o evento, promovido pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), já estão abertas.
A novidade desta edição, realizada em outubro, são os espaços segmentados chamados de “Ilhas Temáticas”, divididas em setor empresarial, academia e instituições públicas. Cada Ilha Temática vai apresentar tendências e inovações das áreas de redes inteligentes e energias renováveis.

Já a proposta do espaço de exposição é proporcionar a aproximação entre fabricantes, prestadores de serviços e consumidores. Outras novidades desta edição são a rodada de negócio com foco empresarial, a Feira de Ciências, voltada ao público jovem, e a apresentação de trabalhos técnicos desenvolvidos por universitários e pesquisadores de uma forma geral.

A CIEI&EXPO2017 espera receber empresários, gestores públicos, membros de agências e entidades de governo, fabricantes, fornecedores, instaladores, consultores, professores, pesquisadores, estudantes e consumidores.

A conferência é promovida pelo Tecpar e pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), organizada pela Paraná Metrologia e conta com o apoio dos Institutos Lactec e da Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre).

O evento é realizado de 18 a 20 de outubro, das 8h às 21h, no Espaço de Exposições Horácio Coimbra, na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). As inscrições podem ser feitas pelo site smartenergy.org.br/2017.

Smart Energy Paraná
O Tecpar realiza a secretaria executiva do programa Smart Energy Paraná, que mobiliza as competências que o Estado e a sociedade já têm e busca por novas competências para desenvolver o setor energético do ponto de vista econômico, ambiental e social no Paraná.
No Smart Energy Paraná, o Tecpar homologa as diferentes tecnologias disponíveis no mercado para apresentar à sociedade as tecnologias já testadas pelo instituto, com geração de dados e capacitação de mão de obra local para atrair investimentos nesta área para o Paraná.

Saiba mais sobre os programa Smart Energy Paraná pelo site smartenergy.org.br/portal.

Serviço
Conferência Internacional de Energias Inteligentes – Smart Energy (CIEI&EXPO 2017)
Data: De 18 a 20 de outubro
Local: Espaço de Exposições Horácio Coimbra na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), na Avenida Comendador Franco, 1341 – Jardim Botânico
Inscrições: Pelo site smartenergy.org.br/2017

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Tecpar realiza evento nesta quinta-feira para apoiar empresários no desenvolvimento de novos produtos


Pequenas e médias empresas que buscam executar projetos que ficam engavetados por falta de tempo ou conhecimento podem contar com o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para transformar ideias em novos produtos, processos e serviços. Para se tornar parceiro das empresas, o Tecpar realiza um evento sobre gestão de projetos, nesta quinta-feira (27), a fim de detalhar como pode ser o apoio do instituto ao empresariado. As vagas são limitadas.

O Tecpar Informação é a unidade de negócios do instituto que pode funcionar como um escritório terceirizado de gestão de projetos para essas organizações. É o setor que realiza o evento, com inscrições gratuitas, no dia 27, entre as 9h e 11h, no campus CIC.

Gerenciamento de projetos
A unidade alia as competências do Tecpar em várias áreas para colocar à disposição do mercado uma equipe capacitada e ferramentas de negócio voltadas à concepção, ao desenvolvimento e à construção do primeiro protótipo.

Várias unidades do Tecpar trabalham em conjunto para apoiar o empresário, como os laboratórios dos Centros de Tecnologia em Saúde e Meio Ambiente, de Tecnologia de Materiais e de Medições e Validação; o Tecpar Informação; o Tecpar Educação; Tecpar Certificação, a Incubadora Tecnológica e a Agência Tecpar de Inovação.

O empresário interessado em participar do evento pode realizar sua inscrição pelo site informacao.tecpar.br. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3316-3054 e pelo e-mail extensao@tecpar.br.

Serviço
Evento sobre gestão de projetos
Data: Quinta-feira (27), das 9h às 11h
Local: Campus CIC do Tecpar (Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775 – CIC)
Investimento: Gratuito
Inscrições: Pelo site informacao.tecpar.br
Informações: Pelo telefone (41) 3316-3054 e pelo e-mail extensao@tecpar.br


Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Parque Tecnológico Virtual do Paraná reúne mais de cinco mil iniciativas


Mais de cinco mil ativos tecnológicos já foram cadastrados na plataforma do Parque Tecnológico Virtual do Paraná (PTV Paraná), que pretende atrair e fixar empresas de base tecnológica em todo território paranaense. Quase a metade dos registros são de projetos e iniciativas inovadoras realizadas em todo o Estado.

O PTV Paraná centraliza os ativos tecnológicos e processos de negócios em uma plataforma única, reunindo institutos de ciência e tecnologia (ICT), núcleos de inovação tecnológica (NIT), empresas de base tecnológica, incubadoras e parques tecnológicos, centros de promoção de empreendedorismo, entidades prestadoras de serviços tecnológicos e instituições de ensino e pesquisa.

As universidades estaduais são as que mais cadastraram suas ações inovadoras na plataforma. As regiões Oeste e Sudoeste, cobertas pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), são as que apresentam os melhores resultados – quase um terço de todos os registros no PTV são das cidades das duas regiões.

A pesquisa em novos produtos representa a maioria dos itens catalogados na região, como, por exemplo, o desenvolvimento de uma tecnologia alternativa para purificação do Metano contido no biogás e um estudo sobre a utilização do mexilhão dourado na elaboração de farinha para alimentação da tilápia.

Todos os registros ficam disponíveis para ser acessados pelos participantes da plataforma, em um espaço que conecta quem atua com projetos e realizações inovadoras, salienta Júlio C. Felix, diretor-presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). "A plataforma do PTV Paraná aproxima o empreendedor tecnológico aos ativos científicos e tecnológicos e de inovação do Estado. Ao chegar a municípios de todos os portes, pesquisadores e empresários de todas as regiões se encontram para gerar inovação", pontua.

Todos os mais de cinco mil ativos, como produtos e registros de propriedade intelectual, podem ser conhecidos por meio da plataforma. Para isso, é necessário realizar o cadastro no site ptvparana.com.

Catálogo de inovação
Com a ferramenta, a sociedade paranaense pode conhecer os ativos tecnológicos do Estado, catalogados em sete categorias: Pessoas, Organizações, Programas e Incentivos, Projetos e Iniciativas, Produtos, Propriedade Intelectual e Serviços. A ferramenta também abre espaço para fóruns e para atualização de calendário de eventos.

Os empresários paranaenses podem, com a nova plataforma, informar suas demandas por soluções tecnológicas e conhecer as instituições mais adequadas para provê-las.

Mais que um catálogo de organizações e de iniciativas inovadoras, porém, a plataforma do PTV Paraná é uma ferramenta de gestão, reunindo uma lista de cadastro e um mapa de calor, que apresenta a distribuição dos ativos no Estado, orientando o acesso pelas empresas aos produtos e serviços tecnológicos e na tomada de decisão.

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Farmanguinhos abre inscrições para o 4º Simpósio Internacional


Desafios e novas tecnologias na descoberta de fármacos e produção farmacêutica

De 7 a 9 de novembro, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) sediará o 4º Simpósio Internacional Sobre Desafios e Novas tecnologias na Descoberta de Fármacos e Produção Farmacêutica. Promovido pelo Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), o evento reunirá profissionais de diferentes especialidades da indústria farmacêutica na Tenda da Ciência, no Rio de Janeiro. As inscrições estão abertas até 15/10. Já o prazo para submissão de resumos encerra-se em 30/8.

O Simpósio (4th International Symposium on Challenges and New Technologies in Drug Discovery & Pharmaceutical Production) tem como objetivo integrar cientistas e profissionais que atuam na descoberta e desenvolvimento de medicamentos. Além disso, estimular o debate sobre o investimento na pesquisa de novos compostos bioativos de origem sintética ou da biodiversidade.

Paralelamente às conferências, ministradas por convidados nacionais e internacionais, será promovida uma seção de pôsteres, e apresentações orais de resumos selecionados das áreas de gestão, pesquisa e desenvolvimento na Indústria Farmacêutica. Os trabalhos concorrerão ao prêmio Benjamim Gilbert nas seguintes categorias: melhor pôster; iniciação científica ou tecnológica (Cientista do Futuro); e Pós-graduação Lato sensu e Stricto sensu, considerando Mestrado Profissional, Mestrado e Doutorado Acadêmico.

Clique aqui para se inscrever, conferir a programação, e obter mais informações sobre os procedimentos para submissão de trabalhos.

Empresários podem contar com o Tecpar no desenvolvimento de novos produtos


Pequenas e médias empresas que buscam executar projetos que ficam engavetados por falta de tempo ou conhecimento podem contar com o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para transformar ideias em novos produtos, processos e serviços. Para se tornar parceiro das empresas, o Tecpar realiza um evento sobre gestão de projetos, no dia 27, a fim de detalhar como pode ser o apoio do instituto ao empresariado. As vagas são limitadas.

O Tecpar Informação é a unidade de negócios do instituto que pode funcionar como um escritório terceirizado de gestão de projetos para essas organizações. É o setor que realiza o evento, com inscrições gratuitas, no dia 27, entre as 9h e 11h, no campus CIC.

Gerenciamento de projetos
A unidade alia as competências do Tecpar em várias áreas para colocar à disposição do mercado uma equipe capacitada e ferramentas de negócio voltadas à concepção, ao desenvolvimento e à construção do primeiro protótipo.

Várias unidades do Tecpar trabalham em conjunto para apoiar o empresário, como os laboratórios dos Centros de Tecnologia em Saúde e Meio Ambiente, de Tecnologia de Materiais e de Medições e Validação; o Tecpar Informação; o Tecpar Educação; Tecpar Certificação, a Incubadora Tecnológica e a Agência Tecpar de Inovação.

O empresário interessado em participar do evento pode realizar sua inscrição pelo site informacao.tecpar.br. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3316-3054 e pelo e-mail extensao@tecpar.br.

Serviço
Evento sobre gestão de projetos
Data: 27 de julho, das 9h às 11h
Local: Campus CIC do Tecpar (Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775 – CIC)
Investimento: Gratuito
Inscrições: Pelo site informacao.tecpar.br
Informações: Pelo telefone (41) 3316-3054 e pelo e-mail extensao@tecpar.br

Assessoria de Comunicação 
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) 
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Tecpar conquista Troféu Bronze no Prêmio Paranaense de Qualidade em Gestão


O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) conquistou o Troféu Bronze no Prêmio Paranaense de Qualidade em Gestão (PPrQG), na categoria Rumo à Excelência (Nível III – 500 pontos), do Modelo de Excelência da Gestão (MEG). O prêmio, entregue na noite desta quinta-feira (13), tem como objetivo reconhecer as melhores práticas de gestão criadas ou adotadas por organizações.

Ao todo, participaram 24 organizações em três categorias, com a apresentação de relatório de gestão que aponta o que a empresa faz para promover a busca da qualidade, produtividade e competitividade. A cerimônia de entrega foi realizada no Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), que promove a premiação.

O diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, que recebeu o prêmio das mãos de Anderson Luiz da Luz, diretor de Operações do IBQP, ressaltou que o modelo de gestão do instituto já foi reconhecido em outras ocasiões e atende o que determina a Lei Federal 13.303/16, que dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública.

Felix pontuou ainda que desde 2011 o instituto adota o modelo de gestão baseado em parâmetros internacionais e por essa razão o Tecpar já implantou o que é preconizado na legislação. “Já  realizamos há anos a atualização periódica do Planejamento Estratégico, com definição de metas e indicadores. Desde a promulgação da Lei 13.303, essa prática passou a ter força de lei. Receber a premiação é um reconhecimento de que o Tecpar está comprometido com a sociedade paranaense”, destacou.

O diretor-presidente do IBQP, Sandro Vieira, afirmou que o prêmio apoia a promoção da competitividade e produtividade das empresas paranaenses. "Ao se inscrever para o prêmio, a empresa recebe visita de examinadores e é avaliada por uma banca julgadora. No fim, ela recebe um relatório que aponta as sugestões de melhorias no processo para torná-la mais competitiva", salientou.

Prêmio
O PPrQG é um processo de reconhecimento da excelência na gestão das organizações sediadas no Estado do Paraná, estruturado nos critérios Primeiros Passos para a Excelência (Nível I – 125 pontos), Compromisso com a Excelência (Nível II – 250 pontos) e Rumo à Excelência (Nível III – 500 pontos) do Modelo de Excelência da Gestão – MEG.
O prêmio é realizado pelo IBQP, por meio do Movimento Paraná Competitivo, tendo como patrocinadores a Itaipu Binacional e a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), com o apoio da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Movimento Brasil Competitivo (MBC) e Rede da Qualidade, Produtividade e Competitividade (QPC).

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355