Videos

Publicado em 28 de jan de 2016. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (27) aponta também que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 com relação ao vírus Zika. Outros 462 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 4.180 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 23 de janeiro.

Incubadora do Tecpar tem 32 vagas abertas para empresas inovadoras


A Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) está com 32 vagas abertas para empresas inovadoras que buscam o apoio do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para desenvolver seus negócios. As regras para o mais novo processo seletivo foram publicadas no último edital da incubadora, nesta semana.

Neste ano, estão sendo ofertadas 16 vagas para a modalidade de incubação residente (quando a empresa fica nas dependências da Intec) e outras 16 para a incubação não residente, quando o empresário não se instala na incubadora, mas conta com o apoio dos especialistas do instituto. As vagas estão divididas nas duas unidades da Intec, em Curitiba (20 vagas) e em Jacarezinho (12 vagas).

Para concorrer a uma das vagas, o projeto deve conter três requisitos: inovação (introdução de novidade ou aperfeiçoamento que resulte em novos produtos, serviços ou processos), base tecnológica (aplicação de conhecimento técnico-científico e investimento em Pesquisa e Desenvolvimento) e prova de conceito ou protótipo (modelo prático que possa provar o conceito estabelecido).

Para participar do processo seletivo, o empreendedor deve submeter seu plano de negócios à avaliação de uma banca julgadora. “A empresa deve apresentar um Plano de Negócios que será desenvolvido para um período de dois anos e compreender informações gerais da empresa e dos sócios, com uma descrição do negócio e um levantamento da concorrência”, afirma Gilberto Passos Lima, gerente dos Parques e Incubadoras Tecnológicas do Tecpar.

Custos
O valor mensal a ser pago pela empresa incubada depende do modelo de incubação e da etapa do processo de incubação em que a empresa se encontra. A incubada residente, por exemplo, ao usar espaços exclusivos da Intec, tem o custo mensal de R$ 24 por metro quadrado utilizado, durante a fase de implantação da empresa.

Já a incubada não residente pagará mensalmente o valor-base de R$ 468,60, neste primento momento. “No período de implantação, como forma de incentivo aos novos negócios, a Intec oferece um desconto de 70% no valor da mensalidade”, pontua.

Durante o programa de incubação a empresa passa por quatro níveis de maturidade: implantação (estruturação da empresa), crescimento (expansão dos negócios), consolidação (início da sustentabilidade financeira) e liberação (com o aumento da fatia do mercado e posterior graduação da incubadora).

A partir do início da etapa de consolidação até o final da etapa de liberação, a incubada passa a pagar mensalmente ao Tecpar uma retribuição ao incentivo que corresponde a 3% do faturamento bruto mensal da empresa.

Os interessados em participar do processo seletivo podem acessar o edital pelo site da Intec (intec.tecpar.br/comoincubar). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3316-3176.

Intec
Ao longo de 27 anos, a Intec já deu suporte tecnológico a mais de 100 negócios. No momento, nove empresas passam pelo programa da Intec, com o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas: Beetech/Beenoculus, Werker, Vuk Personal Parts, Compracam, Provena, RR Import, Forrest Brasil Tecnologia, OrangeLife e Neurocel.
Conheça a incubadora do Tecpar pelo site intec.tecpar.br/comoincubar.

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Comitiva da Ucrânia conhece instalações da Bahiafarma e projeta unidade de fabricação de insulina


Presidente do ucraniano Indar, parceiro do laboratório público baiano, conhece área destinada à manufatura de insulina, visita planta de testes de diagnóstico rápido e faz elogios

A presidente do laboratório ucraniano Indar, parceira da Bahiafarma no projeto de produção de insulinas, Liubov Vishnevska, conheceu, nesta sexta-feira (19), a área na qual está prevista a instalação da unidade de manufatura do insumo. A visita ao local, que já recebe obras, foi acompanhada pelo diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, que explicou como os projetos elaborados em conjunto pelos laboratórios serão implementados na planta, localizada em Simões Filho (BA), na região metropolitana de Salvador.

“Uma fábrica de insulinas é uma unidade de alta tecnologia, que poucos laboratórios detêm, e estamos dando todos os passos para atingir a excelência na instalação desta unidade”, afirma o executivo. “Nosso parceiro Indar, um dos maiores e mais importantes produtores de insulinas do mundo, tem todo o know-how para nos auxiliar neste processo, que vai resultar na mudança de patamar da indústria farmacêutica no Norte-Nordeste brasileiro, com atração e formação de mão-de-obra altamente qualificada.”

Além de visitar as obras, Liubov conheceu a unidade de fabricação dos testes de diagnóstico rápido que estão sendo fornecidos pela Bahiafarma para o Ministério da Saúde e se animou com a qualidade dos processos. “Dá para perceber que é tudo muito organizado, bem feito e que há atenção aos detalhes”, disse, depois de vistoriar a planta.


De acordo com ela, as instalações da Bahiafarma reúnem todas as condições para abrigar uma unidade de produção de insulinas e a gestão do laboratório público se mostrou preparada para desenvolver a parceria. “Um país imenso como o Brasil não pode prescindir de uma fábrica de um insumo vital como a insulina e Ronaldo e sua equipe nos convenceram de que a Bahiafarma está pronta para levar esse projeto adiante”, afirma a executiva.

Fonte: Comunicação Bahiafarma


Tecpar e Paranacidade lançam nova turma do programa Capacita Paraná EaD


O Capacita Paraná EaD, programa do Governo do Estado de capacitação de servidores municipais, realizado pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e do Paranacidade, está com inscrições abertas para a nova turma de participantes. Nesta terceira fase do programa, 15 cursos totalmente online, com temas voltados à gestão pública, estão disponíveis para as prefeituras paranaenses. Esta é a terceira fase, que começa em julho e tem inscrições abertas até 23 de junho.

Nesta terceira fase serão ofertados 15 cursos: Auditoria Pública; Burocracia e Gestão da Política Pública no Brasil; Contabilidade Pública; Elaboração de Atos Normativos; Elaboração de Relatório e Parecer; Ética da Administração Pública; Gestão de Contratos Públicos; Gestão de Projetos no Setor Público; Gestão Estratégica de Pessoas no Setor Público; Interpretação e Produção de Texto; Licitação, Contratos e Convênios; Planejamento, Orçamento Público e Lei de Responsabilidade Fiscal; Português com Ênfase no Acordo Ortográfico; Qualidade no Atendimento ao Público; e Redação Oficial.

As inscrições podem ser feitas no site prefeituras.tecpareducacao.com.br, na aba “Cursos”, ou por meio dos telefones (41) 3576-1923 e (41) 2104-3356. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail educacao@tecpar.br. O custo unitário dos cursos, por inscrição, é de R$ 159, porém os valores podem baixar de acordo com a quantidade de interessados por município. De uma a 50 inscrições, o valor é de R$ 159; de 51 a até 150 inscrições, R$ 149; de 151 a até 250, R$ 139; de 251 a até 500, R$ 129; e acima de 501 inscrições, o valor é sob consulta.

Serviço
Inscrições para a terceira fase dos cursos do Capacita Paraná EaD
Data: Até 23 de junho
Inscrições: Pelo site prefeituras.tecpareducacao.com.br ou por meio dos telefones (41) 3576-1923 e (41) 2104-3356

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)

(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Tecpar debate energia limpa em lançamento de revista do Smart Energy Paraná


O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) lançou nesta quarta-feita (17) a segunda edição da Revista Smart Energy, que apresenta conteúdo científico e notícias sobre o setor de energias renováveis. A programação do evento contou ainda com a criação do programa de incubação verde da Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) e a divulgação do Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) do instituto.

O evento foi aberto pelo secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, que ressaltou a importância do projeto Smart Energy Paraná para o mercado de energia, em especial na geração, uso e comercialização de energia elétrica.

“Esse contexto de oportunidades que temos no Paraná precisa ser bem aproveitado e a inovação e a tecnologia são facilitadoras nesse processo. Instituições ligadas ao Governo do Estado desenvolvem estudos, processos e produtos para o melhor aproveitamento das fontes energéticas e inteligência na sua geração e uso”, pontua.

O diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, lançou a publicação, que tem como tema nesta segunda edição o mercado de energia. Ele destacou que o instituto é o secretário-executivo do projeto Smart Energy Paraná, que tem como função organizar as competências do Estado nessa área e atrair e fixar investimentos para a matriz energética paranaense.

De acordo com Felix, o instituto tem uma plataforma de energias inteligentes, que reúne painéis de energia solar e um gerador de energia eólica. “Tudo isso para que o Tecpar homologue as diferentes tecnologias e para servir de show room para mostrar as tecnologias já testadas pelo instituto. Estamos gerando dados confiáveis e capacitando mão de obra local para atrair investimentos nesta área para o Paraná”, destaca.

Tecnologia Verde
Durante o evento, o Tecpar e a Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre) assinaram um memorando de entendimentos para criar um novo programa para a incubadora do instituto - a Incubação Verde. Pelo acordo, a Intec vai oferecer apoio ao desenvolvimento e na criação de negócios inovadores com o uso de tecnologias sustentáveis.

O diretor-superintendente da Unilivre, Celso Kloss, aponta que a parceria vai oferecer consultorias especializadas no desenvolvimento de negócios sustentáveis. “Queremos ofertar, em parceria com o Tecpar, a infraestrutura inicial para esses negócios, além de sensibilizar os empreendedores e empresários quanto ao tema da sustentabilidade”, afirma.
Impacto ambiental
O diretor de Desenvolvimento Tecnológico do Tecpar, Reginaldo Joaquim de Souza, fez a divulgação oficial do Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) do instituto, documento que contabiliza as emissões de todos os gases do efeito estufa emitidos pelo Tecpar ao longo de 2016. “Com esse relatório, baseado no Protocolo de Kyoto, o instituto passa a contabilizar e informar de forma transparente as suas emissões para poder, assim, desenvolver ações focadas em minimizar o impacto ambiental gerado pela empresa”, salienta.

Smart Energy Paraná
O projeto Smart Energy Paraná mobiliza as competências que o Estado e a sociedade já têm e busca por novas competências para desenvolver esse setor do ponto de vista econômico, ambiental e social no Paraná. No governo estadual, o Tecpar secretaria o programa, que tem como função organizar as competências do Estado nessa área e atrair e fixar investimentos para a matriz energética paranaense.

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Bahiafarma inicia processo para produzir e fornecer insulina ao Ministério da Saúde


Em parceria com o laboratório ucraniano Indar, laboratório público começa projeto para instalar fábrica de insulinas na Bahia, primeira planta de medicamentos biotecnológicos do Estado
A visita à Bahia de executivos do laboratório ucraniano Indar, um dos líderes mundiais na produção de insulina, iniciada nesta terça-feira (16), marca a consolidação da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre a empresa e o laboratório público baiano Bahiafarma. O acordo tem como meta a produção local de insulinas para abastecer o Sistema Único de Saúde (SUS).

A cooperação entre o laboratório internacional e a Bahiafarma prevê a instalação de uma fábrica de insulinas na Bahia, que passa a ser a primeira planta de medicamentos biotecnológicos do Estado e a primeira de um laboratório público brasileiro a produzir o insumo.

“Depois que a unidade estiver pronta, a tendência é que sejam encerrados os repetidos problemas de desabastecimento de insulinas no Sistema Único de Saúde”, afirma o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias. “Este projeto consolidará a Bahiafarma como um dos únicos laboratórios oficiais capacitados a produzir insulina no País, o que implicará em ampliação do quadro de empregos com mão-de-obra qualificada e fortalecerá o desenvolvimento do Nordeste, com a implementação de um parque industrial de alta tecnologia.”

A diretora do Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), Reine Chaves, salienta a importância de se evitar o desabastecimento no fornecimento de insulina a pacientes que necessitam da substância. “Se um paciente que depende de insulina deixa de recebê-la, há risco de morte”, afirma. “Em casos de pacientes de diabetes tipo 1, bastam 24 ou 48 horas sem insulina para que ele tenha de ser transferido para a Emergência. É muito sério.”

A presidente do Conselho de Administração da Indar, Liubov Vishnevska, lidera a comitiva ucraniana, que participa de uma série de reuniões com autoridades da Bahia e do Ministério da Saúde até o fim da semana. Na terça-feira, os executivos participaram de encontros com o governador Rui Costa e com o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, e conheceram a planta da Bahiafarma em Simões Filho (BA), na região metropolitana de Salvador.

O governador Rui Costa destacou a importância da parceria com o laboratório. “Para nós é mais que importante, é necessário, não só para a Bahia, mas para o Brasil, que esse acordo seja concretizado o mais brevemente possível”, afirmou.

Parceria
A parceria entre Bahiafarma e Indar foi firmada após o Ministério da Saúde definir a redistribuição dos projetos de PDP para produção de insulinas no País, por meio da Portaria número 551. Pelo documento, publicado no Diário Oficial da União em 21 de fevereiro, a Bahiafarma passará a ser responsável pelo fornecimento de 50% da demanda do ministério para o insumo.

“O estabelecimento da Bahiafarma como um dos atores na produção de insulina acontece em um cenário de reconhecimento, pelo ministério, ao empenho e compromisso referentes às ações executadas pela Bahiafarma nos últimos anos no Complexo Industrial da Saúde”, afirma Ronaldo Dias, lembrando dos esforços do laboratório público baiano para desenvolver e fornecer ao SUS ferramentas de diagnóstico rápido para arboviroses (zika, dengue e febre chikungunya).

A Indar foi escolhida como parceira da Bahiafarma por ser uma das líderes mundiais na produção de insulinas. “É uma empresa que atua exclusivamente em pesquisa e produção de insulinas, há mais de 15 anos, e é reconhecida por utilizar tecnologias inovadoras, além de realizar operações em diversos países”, afirma o diretor-presidente da Bahiafarma.


A Indar também se destaca por atender aos rigorosos requisitos regulatórios brasileiros – sua unidade de produção já possui o Certificado em Boas Práticas de Fabricação (CBPF) e as insulinas NPH e Regular já têm registros na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Fonte: Comunicação Bahiafarma

Senado debate avanços no tratamento, tecnologia e suporte ao paciente com câncer


O auditório do Interlegis, no Senado Federal, sedia, no dia 25 de maio, o II Fórum Nacional sobre Câncer. O evento promove o debate acerca da assistência oncológica desde o acesso, qualidade das tecnologias ofertadas, os avanços no tratamento e os direitos dos pacientes

 Até 2030 os casos de câncer terão um aumento em torno de 50% - cerca de 22 milhões de novos casos. A estimativa é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta a doença como uma das principais causas de morte no mundo, com mais de 32 milhões de casos. No Brasil, o câncer já representa a terceira causa de óbito, onde o INCA estima a ocorrência de 600 mil casos novos da doença, no biênio 2016-2017. Com objetivo de promover a divulgação de informações sobre a doença, suas causas e formas de prevenção e um amplo debate sobre os avanços necessários para o acesso da população ao diagnóstico e tratamento adequados, o Programa Ação Responsável realiza, em parceria com o Governo Federal, o II Fórum Nacional sobre Câncer: Avanços no tratamento, tecnologia e suporte ao paciente. O evento é no próximo dia 25, no auditório do Interlegis, no Senado Federal, a partir das 9h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas em www.acaoresponsavel.org.br.

 A segunda edição do evento reúne gestores públicos, instituições acadêmicas, iniciativa privada, terceiro setor e sociedade civil. Dentre os temas que serão debatidos estão: o câncer no Brasil e as políticas de controle e tratamento; o registro de medicamentos oncológicos; os tumores raros no Brasil; as políticas em saúde; e o suporte ao paciente com câncer no país.

 O Câncer no DF
A estimativa do INCA para o Distrito Federal, para o biênio 2016-2017, é que haja 3.940 novos casos de câncer em homens, com um risco estimado de 284,86 casos a cada 100 mil homens, e 4.610 novos casos em mulheres, com um risco estimado de 305,37 casos a cada 100 mil mulheres. Segundo dados mais recentes, de 2014, somente no DF, houve 2.301 mortes em decorrência do câncer.

Serviço: II Fórum Nacional sobre Câncer: Avanços no tratamento, tecnologia e suporte ao paciente
Data: 25 de maio de 2017, a partir das 9h
Local: Senado Federal - auditório Senador Antonio Carlos Magalhães no Interlegis, Brasília-DF
Realização e Coordenação: Instituto Brasileiro de Ação Responsável
Instituições Parceiras: Congresso Nacional; Ministério da Saúde; Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD; Agência Íntegra Brasil e Interlegis
Mais informações: (61): 3368-6044, 3468-5696 e seminarios@acaoresponsavel.org.br
Inscrições gratuitas: www.acaoresponsavel.org.br

 Assessoria de Imprensa
Etcetera Comunicação
(61) 3573-4992
Denise Margis (61) 99114-4584
Marina Figueiredo (61) 99170-0606


Ótica Lafepe na Semana de Mobilização Cidadã


                O mutirão, com mais de 100 serviços, começou nesta segunda-feira (15-05), no Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa/PE), e segue até a próxima sexta-feira (19-05), sempre das 8h às 15h, no galpão ao lado do pátio do milho. O objetivo é garantir a quem trabalha, a quem compra ou mora próximo ao Ceasa serviços essenciais à população, nas áreas da Saúde e Cidadania; com destaque para exames preventivos e emissão de documentos.


                O Lafepe está participando do evento com a estrutura de ótica, oferecendo óculos a partir de R$54,50. Com a receita em mãos, respeitando prazo de validade de um ano, o cidadão pode comprar lentes de resina multifocais, bifocais e de visão simples, em armações trabalhadas em metal fechado, acetato e fio de nylon. O pagamento pode ser feito à vista ou usando o cartão de crédito. A entrega acontece em até 15 dias, na Farmácia Lafepe do bairro de Dois Irmãos, no Recife. Vale destacar que o exame de vista está sendo oferecido, de graça, no mutirão, por equipe da Fundação Altino Ventura.   

Fonte: Comunicação Lafepe

Tecpar discute mercado de energia e lança nova edição de revista


O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) realiza nesta quarta-feira (17) o lançamento da segunda edição da Revista Smart Energy, que apresenta conteúdo científico e noticioso sobre o setor de energias renováveis. Além da apresentação da nova edição, o evento vai debater o mercado de energia com especialistas na área. O encontro, com entrada franca, está com inscrições abertas.

O evento de lançamento será aberto pelo secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes. O diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, fará o lançamento oficial da publicação, que tem como tema nesta segunda edição o mercado de energia.

Avaliado
O tema da revista é também assunto para debate entre especialistas. A partir das 10h30, o mercado de energia será avaliado por especialistas da Copel, dos Institutos Lactec e da Associação Brasileira Pequenas Centrais Hidrelétricas e Centrais Geradoras Hidrelétricas (Abrapch).
O diretor de Desenvolvimento Tecnológico do Tecpar, Reginaldo Joaquim de Souza, lançará o Inventário de Gases de Efeito Estufa, documento que faz um levantamento sobre questões ambientais no instituto.

Evento
O evento será nesta quarta-feira (17), das 9h às 12h, no Campus CIC do Tecpar, que fica na Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775, na Cidade Industrial de Curitiba. As inscrições devem ser feitas previamente pelo e-mail smartenergy@smartenergy.org.br
Smart Energy Paraná
O projeto Smart Energy Paraná mobiliza as competências que o Estado e a sociedade já têm e busca por novas competências para desenvolver esse setor do ponto de vista econômico, ambiental e social no Paraná. No governo estadual, o Tecpar secretaria o programa, que tem como função organizar as competências do Estado nessa área e atrair e fixar investimentos para a matriz energética paranaense.

Serviço
Data: Quarta-feira (17)
Horário: 9h às 12h
Local: Campus CIC do Tecpar (Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775 – Cidade Industrial de Curitiba)
Informações e inscrições: smartenergy@smartenergy.org.br

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)

(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Sessão de cinema no Dia das Mães Lafepe


                A concorrida programação aconteceu na tarde desta sexta-feira (12-05), no centro de treinamento do laboratório pernambucano. Em tela, a comédia Minha Mãe É Uma Peça, - O Filme 2 . Com direito a pipoca e refrigerante, mais de cem colaboradoras se dividiram em duas salas para acompanhar o longa. 


                A plateia deu boas risadas com a história de Dona Hermínia; uma mulher de meia idade e hiperativa que não larga o pé dos filhos, mesmo eles sendo bem grandinhos. Após o filme, as mães saborearam um delicioso bolo de maracujá.








Fonte: Comunicação Lafepe

Tecpar avalia planta de barracão que integra projeto para reciclagem de lixo


O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) avaliou a Planta de Gerenciamento de Resíduos Recicláveis que o Instituto Águas Paraná (ÁguasParaná) instalou em Corbélia, no Oeste do Estado, como uma das ações de um projeto que busca dar às cidades paranaenses estrutura para reciclar o lixo gerado localmente.

O Centro de Medições e Validação do Tecpar esteve na cidade para avaliar as instalações e equipamentos da planta, que é destinada para a triagem, enfardamento e comercialização dos resíduos recicláveis coletados pela associação de catadores local. O material entregue na planta é diversificado, como papelão, garrafa PET, latas de alumínio e vidro, entre outros.

De acordo com o gerente do Centro de Medições e Validação do Tecpar, João Pimpão, a avaliação gerou um relatório com observações sobre a operação realizada na planta. “A avaliação feita na Planta de Gerenciamento de Recicláveis de Corbélia mostra que as condições de operação e trabalho são satisfatórias com relação ao desempenho, à ergonomia e à segurança relacionadas aos equipamentos e instalações da planta”, pontua.
Com o relatório nas mãos, o Águas Paraná deve agora promoverá o projeto em outras partes do Estado, explica Paulo Breda, diretor de Resíduos Sólidos do instituto. “A instalação da planta de reciclagem é uma das ações que estamos levando aos municípios do Paraná. O projeto envolve ainda a disponibilização de um caminhão para a coleta seletiva e um forte investimento em educação ambiental”, salienta.

Breda destaca ainda que em Corbélia já é possível mensurar os resultados do investimento com o caminhão e com a planta de reciclagem. Antes, cada um dos catadores da associação ganhava em torno de R$ 450 por mês com o trabalho agora e com a nova infraestrutura, avaliada pelo Tecpar, os trabalhadores passaram a receber em torno de R$ 1000 mensais.

“O Programa Estadual do Sistema Integrado de Coleta Seletiva busca, além de apoiar os municípios no cumprimento da Lei Nacional de Resíduos Sólidos, dar melhor estrutura para que as pessoas que atuam na reciclagem possam ter um ambiente de trabalho adequado e uma remuneração mais justa”, ressalta Breda.

Com o projeto-piloto da planta de reciclagem avaliado pelo Tecpar, agora o Águas Paraná pretende levar as ações do programa a outros 100 municípios paranaenses. Saiba mais sobre o programa em www.aguasparana.pr.gov.br.

Tecpar
O Tecpar é uma empresa pública do Governo do Estado que tem 76 anos de atividade. Os negócios do instituto são divididos em quatro grandes unidades: Soluções Tecnológicas, para dar apoio às empresas que buscam inovar; Empreendedorismo Tecnológico Inovador, com suas incubadoras tecnológicas e com os parques tecnológicos, como o Parque Tecnológico da Saúde; Educação, com qualificação para o mercado privado e ainda com desenvolvimento de capacitações para servidores municipais de prefeituras paranaenses; e Indústria Farmacêutica e Biotecnológica, com desenvolvimento e produção de kits diagnósticos veterinários, vacina antirrábica e produção de medicamentos de alto valor agregado para a saúde pública brasileira.

O instituto foi escolhido pelo Ministério da Saúde para ser um dos fornecedores oficiais de medicamentos biológicos, que serão produzidos nos próximos anos.

Além disso, o Tecpar atende demandas do Governo do Estado - é executor de projetos na área de energias renováveis e empreendedorismo tecnológico.

Saiba mais sobre o instituto em www.tecpar.br.

Fonte: Comunicação Tecpar

Tecpar promove reunião de avaliação do Parque Tecnológico Virtual do Paraná


O Parque Tecnológico Virtual do Paraná (PTV Paraná), ação do Governo do Estado para colocar o Paraná em um ciclo de desenvolvimento de inovação tecnológica, teve novas ações alinhadas entre o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), que é a secretario executiva do projeto, e os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) das universidades estaduais, que são os principais braços operacionais do PTV Paraná por todo o Estado.

Mais de 15% das cidades paranaenses já contam com pelo menos um ativo tecnológico registrado na plataforma do Parque Tecnológico Virtual do Paraná (PTV Paraná), que pretende atrair e fixar empresas de base tecnológica em todo território paranaense por meio do endereço eletrônico ptvparana.com.

O PTV Paraná centraliza os ativos tecnológicos e processos de negócios em uma plataforma única, reunindo instituições de ciência e tecnologia (ICTs), núcleos de inovação tecnológica (NITs), empresas de base tecnológica, incubadoras e parques tecnológicos, centros de promoção de empreendedorismo, entidades prestadoras de serviços tecnológicos e instituições de ensino e pesquisa.

De acordo com Júlio C. Felix, diretor-presidente do Tecpar e secretário executivo do projeto, o Parque Tecnológico Virtual do Paraná é um movimento para mobilizar competências no Estado. “A plataforma aproxima o empreendedor tecnológico aos ativos científicos e tecnológicos e de inovação do Estado. Além de cumprir esse papel, a plataforma tem se mostrado uma grande ferramenta de informação de Ciência, Tecnologia e Inovação no Paraná”, salienta.

O coordenador da Ciência e Tecnologia da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), Evandro Razzoto, destaca que a plataforma é uma ferramenta importante para mostrar todas as competências que o Paraná reúne. "As informações disponibilizadas na plataforma auxiliam empresas a contratar produtos e consultorias dentro do próprio Estado. Precisamos que os ativos tecnológicos estejam registrados ali para haver a maior troca possível de informações", pontua.

Estiveram presentes na reunião, realizada na sede do Tecpar nesta terça-feira (9), representantes da Agência Tecpar de Inovação, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual de Maringá (UEM), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), da Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre) e da Rede Paranaense de Metrologia e Ensaios (Paraná Metrologia).
Ativos tecnológicos
Com a ferramenta, a sociedade paranaense pode conhecer os ativos tecnológicos do Estado, catalogados em sete categorias: Pessoas, Organizações, Programas e Incentivos, Projetos e Iniciativas, Produtos, Propriedade Intelectual e Serviços. A ferramenta também abre espaço para fóruns e para atualização de calendário de eventos.

Os empresários podem, com a nova plataforma, informar suas demandas por soluções tecnológicas e conhecer as instituições mais adequadas para provê-las.
Mais que um catálogo de organizações e de iniciativas inovadoras, porém, a plataforma do PTV Paraná é uma ferramenta de gestão, reunindo uma lista de cadastro e um mapa de calor, que apresenta a distribuição dos ativos no Estado, orientando o acesso pelas empresas aos produtos e serviços tecnológicos e na tomada de decisão.

Plataforma

Cada instituição pode se cadastrar e catalogar seus programas de financiamento à inovação e seus projetos de pesquisa, por exemplo. A plataforma é a ferramenta de gestão dos ativos tecnológicos paranaenses da Seti, que é a instituição responsável pelo projeto. A plataforma ainda funciona como uma rede social, na qual os seus integrantes podem criar fóruns e troca de informações sobre projetos inovadores no estado.

Assessoria de Comunicação 
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) 
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355





lunos da Uninassau de Maceió visitam o Lafepe


                Uma turma formada por 34 alunos do curso de Farmácia da Uninassau de Alagoas esteve, nesta terça-feira (09-05), no setor de produção dos comprimidos, no controle de qualidade e na área de pesquisa e desenvolvimento do laboratório pernambucano.

                O grupo do nono período contou com a supervisão da professora Ana Flávia Oliveira. Para a mestra, a oportunidade de vivenciar o fluxo de um laboratório do porte do Lafepe representa muito mais do que a possibilidade de compreender melhor o conteúdo visto em sala  de aula. "Além de terem uma visão detalhada e prática do ambiente industrial, os estudantes ganham a oportunidade de perceber o setor com o qual mais se identificam", pontua Ana Flávia.

                As experiências apreendidas na visita ao Lafepe serão sistematizadas pelos alunos em resumo científico, de caráter avaliativo. 






Fonte: Lafepe

Tecpar promove curso sobre tratamento da não conformidade


O Tecpar Educação, divisão do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) responsável por produzir conteúdos para qualificação profissional, promove, no dia 19 de maio, o curso “Tratamento da Não Conformidade”. As inscrições estão abertas.

Realizado em participação com o Paraná Metrologia, o curso tem como objetivo orientar os participantes a conduzirem trabalhos de verificação e registro das não conformidades e aplicar as ações corretivas e preventivas necessárias. Na sequência, os participantes desenvolverão atividades de melhoria em laboratórios de ensaios e de calibração.

O conteúdo, voltado a profissionais que atuam em laboratórios, vai explorar o controle de trabalhos de ensaios e calibração não conforme; a análise de causa-raiz; o monitoramento, a seleção e implementação de ações corretivas; e as auditorias adicionais.

O curso acontece no dia 19 de maio, das 8h às 17h, no campus CIC do Tecpar, que fica na Rua Professor Algacyr Munhoz Mader, 3775, na Cidade Industrial de Curitiba. As inscrições custam R$ 475 e podem ser feitas pelo e-mail cursos@paranametrologia.org.br. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.paranametrologia.org.br e pelo telefone (41) 3362-6622.

Tecpar
O Tecpar é uma empresa pública do Governo do Estado que tem 76 anos de atividade. Os negócios do instituto são divididos em quatro grandes unidades: Soluções Tecnológicas, para dar apoio às empresas que buscam inovar; Empreendedorismo Tecnológico Inovador, com suas incubadoras tecnológicas e com os parques tecnológicos, como o Parque Tecnológico da Saúde; Educação, com qualificação para o mercado privado e ainda com desenvolvimento de capacitações para servidores municipais de prefeituras paranaenses; e Indústria Farmacêutica e Biotecnológica, com desenvolvimento e produção de kits diagnósticos veterinários, vacina antirrábica e produção de medicamentos de alto valor agregado para a saúde pública brasileira.

Além disso, o instituto atende demandas do Governo do Estado – é executor de projetos na área de energias renováveis e empreendedorismo tecnológico.
Saiba mais sobre o instituto em www.tecpar.br.

Serviço
Curso "Tratamento da Não Conformidade"
Data: 19 de maio
Horário: das 8h às 17h
Investimento: R$ 475
Local: Câmpus CIC do Tecpar (Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775 – Cidade Industrial de Curitiba)
Informações: Pelo site www.paranametrologia.org.br e pelo telefone (41) 3362-6622

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Doenças Raras é tema de evento nacional


O problema de saúde pública, que já atinge cerca de 13 milhões de brasileiros, foi foco central de debate, realizado no dia 4 de maio, durante o IX Fórum Nacional de Políticas de Saúde, no Senado Federal

O Senado Federal reuniu, nesta quinta-feira, 4 de maio, profissionais da saúde, parlamentares, autoridades do Ministério da Saúde e representantes de outras entidades, públicas e privadas, para debater um problema que atinge cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil: as doenças raras. O tema foi amplamente abordado durante o IX Fórum Nacional de Políticas de Saúde no Brasil, realizado pelo Programa Ação Responsável em parceria com o Governo Federal. O evento gratuito contou com participação ativa do público, que lotou o auditório do Interlegis, no Senado Federal, das 9 às 14h.

Clementina Moreira Alves, presidente do Instituto Brasileiro de Ação Responsável, abriu a tribuna do evento ressaltando a importância de repetir o tema, apresentado com sucesso no ano passado - doenças raras. "Acho oportuno repetir a temática, tendo em vista que não é menos necessário garantir acesso, cidadania, inovação, cura, tratamento e qualidade de vida a essas pessoas. É muito mais do que falar de políticas de saúde. É falar de humanidade", disse, ao dar boas-vindas ao público.

Presente na mesa de abertura do Fórum, o deputado federal Diego Garcia (PHS/PR) defendeu que o tema precisa ser mais debatido e elogiou a iniciativa. "A cada ano me sinto mais engajado nas causas das doenças raras. E um evento como esse, que ocorre em uma casa legislativa, provoca reações", garantiu Garcia, que hoje preside a Frente Parlamentar de Doenças Raras.  Ressaltou, ainda, que há muito a ser feito no que tange ao trabalho legislativo. "Mais de 40% das pessoas estão desamparadas e algo tem que ser feito”. Na ocasião, se considerou esperançoso em relação ao trabalho do atual ministro da Saúde, Ricardo Barros, e defendeu o PL 3077/2015 da senadora Ana Amélia (PP/RS), que amplia a triagem neonatal, mais conhecida como teste do pezinho.

"Apesar de muitas doenças raras não terem cura, precisamos pensar na qualidade de vida desses pacientes. Que venham mais fóruns como esse, pois todas essas informações são importantíssimas para dar mais aconchego às famílias e aos portadores de doenças raras", destacou a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB/SP). A parlamentar focou parte de sua explanação na área pediátrica, lembrando que não há uma política específica para o transplante de órgãos pediátricos e sugeriu, na oportunidade, a criação de uma audiência pública para abordar o tema.

O deputado federal Alan Rick (PRB/AC) destacou a relevância do PLC 56/2016, em tramitação no Senado Federal - que institui a Política Nacional para Doenças Raras, no Sistema Único de Saúde (SUS), com objetivo de proporcionar o acesso aos serviços e aos cuidados adequados aos pacientes diagnosticados com alguma forma de doença rara e, quando for o caso, o acesso aos tratamentos disponíveis no mercado, inclusive por meio de mecanismos diferenciados para o registro sanitário e a incorporação de medicamentos órfãos no SUS. “Julgo esse, como sendo de suma importância, porque cria uma rede de doenças raras. Ano passado gastamos mais de R$ 500 milhões com ações judiciais. Ou seja, esse PLC é de suma importância para avançarmos. Temos que fazer de tudo para mobilizar outros parlamentares a se juntarem a nós nessa luta”, argumentou.

Representando a Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Flávio Vormittag, doutor e Coordenador Geral de Sangue e Hemoderivados, fechou a mesa de abertura do Fórum. Na ocasião, ele também defendeu a importância da ampliação da triagem neonatal, ou teste do pezinho, tão importante no diagnóstico precoce das doenças raras. "Hoje, seis doenças são diagnosticadas com o teste do pezinho. O programa está em todos os estados brasileiros. O que procuramos quando incluímos novas doenças no hall de testes de triagem neonatal, é ter a garantia do diagnóstico confirmado, bem como o acesso ao atendimento e ao tratamento adequado dessas doenças", afirmou.

O IX Fórum Nacional de Políticas de Saúde seguiu com uma mesa técnica representativa, formada por: Eduardo David, coordenador substituto da Coordenação Geral de Atenção Especializada do Departamento de Atenção Especializada e Temática da Secretaria de Assistência a Saúde/SAS/MS; Ávila Teixeira Vidal, coordenadora de Avaliação de Monitoramento de Tecnologias do Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde; Carolina Fischinger, doutora e presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM); Gisela Martina Bohns Meyer, doutora e coordenadora do Serviço de Hipertensão Pulmonar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre; Antoine Daher, presidente da Casa Hunter e membro da Comissão da Câmara Técnica de Doenças Raras (CFM). A mesa foi moderada pela biomédica e especialista em Saúde Pública da Sociedade Brasileira de Triagem Neonatal e Erros Inatos do Metabolismo, Eliane Pereira dos Santos.

Em sua palestra, Eduardo David apresentou um breve resumo dos avanços e desafios na implantação da Portaria GM/MS nº 199/2014. Na ocasião citou a definição de doenças, segundo a OMS, em que 65 pessoas, em cada 100 mil, são portadores de alguma doença rara, o que representa entre 6 e 8% da população brasileira, divididas entre 80% genéticas e 20% ambientais. Eduardo colocou como os maiores desafios no tratamento das doenças raras a falta de dados epidemiológicos, os tratamentos inespecíficos, a oferta de poucos médicos especializados e a judicialização dos medicamentos para essas doenças.

Ávila Teixeira Vidal focou a sua apresentação no uso de evidências para o estabelecimento de diretrizes clínicas para doenças raras. Na ocasião, Ávila destacou a Política Nacional de Atenção Integral às pessoas com Doenças Raras, afirmando que a iniciativa teve grande participação social e “clamou pelo cuidado e pelo olhar da população”. De acordo com a representante do Ministério da Saúde, dentre 8 mil doenças, 60 foram citadas e priorizadas. Destas 48 foram inseridas no eixo genético e 12 no eixo não genético. Os maiores desafios da política foram contemplar todos os eixos e grupos das políticas de doenças raras, ouvir a opinião dos especialistas e atender às expectativas das pessoas portadoras.

Carolina Fischinger enriqueceu o Fórum, chamando a atenção para a necessidade do Brasil investir em pesquisas e em pesquisadores para atuarem internamente, a fim de evitar a importação de pesquisas que poderiam se desenvolver no país. "Há uma evasão de bons pesquisadores brasileiros. Trago esse assunto para a reflexão de todos", destacou. Falou ainda da Portaria Nº 199/2014 do Ministério da Saúde - que institui a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras - e a importância de se trabalhar essa política, em conjunto com a indústria farmacêutica, de modo a possibilitar o trabalho com evidências científicas.

Gisela Martina ressaltou a urgência que os casos de doenças raras demandam, a exemplo da hipertensão arterial pulmonar (HAP). Após apresentar alguns vídeos com relatos de portadores da doenças raras, acerca dos problemas enfrentados, que praticamente impossibilitam uma vida normal, completou com informações acerca dos entraves apresentados pelo próprio sistema de atendimento desses pacientes. "As maiores dificuldades estão, sem dúvidas, nas burocracias. Muitas vezes precisamos de atalhos para fazer exames e tratamentos, porque a burocracia inviabiliza o trabalho com esses pacientes".

Antonie Daher discursou sobre o cenário da doença rara sob a ótica do paciente, enfatizando a importância da otimização do diagnóstico. “Se pudermos ofertar o diagnostico precoce será possível levar qualidade de vida aos pacientes. Terapias aprovadas e definidas podem mudar esse cenário”, disse Antonie. O especialista ressaltou ainda, a importância do país avançar em pesquisas clínicas, mesmo diante de tantos entraves. “Não são 13 milhões de pacientes, mas 50 milhões, pois toda a família fica doente junto. Temos que olhar as novas tecnologias e a saúde como investimento e avançar urgentemente”. Daher falou também sobre a banalização da judicialização e dos altos custos que o governo arca por não ter medicamentos essenciais regulamentados: “via SUS um medicamento custaria R$2.500 por paciente. Já, por meio da Justiça, ele sai por R$ 10mil e a culpa não é do paciente. Se existem drogas caríssimas, essa não é a discussão. O fato é que o governo tem que viabilizar. Temos que priorizar a saúde e a dignidade humana”.

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB/RO) também compareceu ao Fórum, durante as apresentações da mesa técnica. Na ocasião, parabenizou a iniciativa do Programa Ação Responsável em tratar do tema de tão grande relevância para o país. “Se as dificuldades encontradas são grandes para quem vive nas grandes cidades, imagine para as comunidades ribeirinhas”, questionou, colocando seu gabinete à disposição para atuar em prol dos avanços necessários.

As fotos do evento, bem como os slides apresentados na mesa técnica estão disponíveis na página do evento em www.acaoresponsavel.org.br.

Etcetera Comunicação
Telefone: (61) 3573-4992 / 9170-0606 / 9114-4584


Tecpar promove curso de documentação para laboratórios


O Tecpar Educação, divisão do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) responsável por produzir conteúdos para qualificação profissional, promove, no dia 12 de maio, o curso "Elaboração de Documentos para Laboratórios". As inscrições estão abertas.
Ministrado em parceria com o Paraná Metrologia, o curso tem como objetivo apresentar aos participantes como desenvolver a documentação do Sistema de Gestão da Qualidade para Laboratórios de Calibração e Ensaios, para atender aos requisitos da Norma ABNT NBR ISSO/IEC 17025:2005.
O conteúdo, voltado a profissionais que atuam em laboratórios, vai explorar os requisitos das normativas e ainda apresentar orientações para a elaboração de manual da qualidade, de listas mestras, de procedimentos gerenciais, de formulários da qualidade e técnicos e de procedimentos técnicos.

O curso será das 8h às 17h, no campus CIC do Tecpar, que fica na Rua Professor Algacyr Munhoz Mader, 3775, na Cidade Industrial de Curitiba. As inscrições custam R$ 475 e podem ser feitas pelo e-mail cursos@paranametrologia.org.br. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.paranametrologia.org.br e pelo telefone (41) 3362-6622.

Tecpar
O Tecpar é uma empresa pública do Governo do Estado que tem 76 anos de atividade. Os negócios do instituto são divididos em quatro grandes unidades: Soluções Tecnológicas, para dar apoio às empresas que buscam inovar; Empreendedorismo Tecnológico Inovador, com suas incubadoras tecnológicas e com os parques tecnológicos, como o Parque Tecnológico da Saúde; Educação, com qualificação para o mercado privado e ainda com desenvolvimento de capacitações para servidores municipais de prefeituras paranaenses; e Indústria Farmacêutica e Biotecnológica, com desenvolvimento e produção de kits diagnósticos veterinários, vacina antirrábica e produção de medicamentos de alto valor agregado para a saúde pública brasileira.

Além disso, o instituto atende demandas do Governo do Estado – é executor de projetos na área de energias renováveis e empreendedorismo tecnológico.
Saiba mais sobre o instituto em www.tecpar.br.

Serviço
Curso "Elaboração de Documentos para Laboratórios"
Data: 12 de maio
Horário: das 8h às 17h
Investimento: R$ 475
Local: Câmpus CIC do Tecpar (Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775 – Cidade Industrial de Curitiba)
Informações: Pelo site www.paranametrologia.org.br e pelo telefone (41) 3362-6622

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355