Videos

Publicado em 28 de jan de 2016. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (27) aponta também que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 com relação ao vírus Zika. Outros 462 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 4.180 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 23 de janeiro.

Alunos de administração da ETE visitam o Lafepe

  Na tarde da quinta-feira, dia 25, alunos do 3º ano do curso de Administração da Escola Técnica Estadual (ETE) José Alencar Gomes da Silva, no Janga, estiveram no Lafepe para conhecer a área de logística de armazenamento e de distribuição de produtos.




Os 27 alunos e dois professores tiveram a oportunidade de acompanhar, na prática, os procedimentos adotados pelo laboratório pernambucano que segue, à risca, os padrões de qualidade recomendados pela Anvisa.




 A rotina de procedimentos nos almoxarifados de matéria-prima e de produto acabado foi explicada aos estudantes durante a visita.





“Esta visita técnica complementa a nossa grade curricular que inclui as disciplinas de logística, administração de materiais e gestão de qualidade”, frisou a professora e coordenadora do curso de Administração da ETE, Camila Fraga.


Estudantes da UEPB visitam Lafepe


Estudantes do 8º período do curso de Farmácia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), de Campina Grande, visitaram na manhã da quarta-feira, dia 24, a Divisão de Sólidos do Lafepe. Formado por 20 alunos e dois professores, o grupo conheceu de perto as etapas do processo de produção dos medicamentos Lafepe e sua linha de embalagem primária.

Como resultado desta visita, os alunos devem produzir relatório para apresentação nas disciplinas de tecnologia farmacêutica e farmacotécnica, ministradas respectivamente, pelos professores Geovani Pereira Guimarães e Bolivar Damasceno, que acompanharam o grupo.

“Nossa programação no Lafepe irá influenciar significativamente na vida profissional de nossos alunos, que puderam conferir, na prática, o que estudamos em sala de aula”, enfatizou o professor Geovani, ressaltando que irá programar outras visitas ao laboratório pernambucano.






Bahiafarma assina acordo para instalação de fábrica de medicamentos em Vitória da Conquista

Convênio entre laboratório público baiano e Cristália prevê construção de unidade de produção de fármacos para combate a tumores e à anemia falciforme
O laboratório público Bahiafarma e o laboratório Cristália assinaram, nesta segunda-feira (22), o memorando de entendimentos para a construção, em Vitória da Conquista, de uma unidade de produção de medicamentos. Sairão da fábrica, que passará a ser a subsidiária da Bahiafarma na cidade, fármacos para tratamento de tumores (tamoxifeno e capecitabina) e da doença falciforme (hidroxiureia), a fim de atender à demanda do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o País. Também está prevista a exportação desses medicamentos para a América Latina. Estima-se que sejam criados 300 postos de trabalho diretos na unidade.
“A subsidiária da Bahiafarma solucionará definitivamente a demanda dos pacientes com anemia falciforme, visto que o mercado brasileiro sofre com irregularidade no abastecimento do medicamento importado”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, que participou da cerimônia, também acompanhada pelo governador Rui Costa.
Vilas-Boas ressalta que a Bahia registra a maior incidência da doença no Brasil, por se tratar de uma disfunção que atinge principalmente a população negra. “São mais de 4 mil pessoas cadastradas na Fundação de Hemoterapia e Hematologia da Bahia (Hemoba) com a doença, que deve ser diagnosticada logo após o nascimento, por meio do teste do pezinho”, aponta “Estima-se que a cada 650 nascidos vivos um possui a doença e traço falciforme.”
O diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, destaca que a assinatura do convênio “é mais um passo no processo de expansão da Bahiafarma como um centro indutor de um pólo industrial farmoquímico e biotecnológico no Estado”. “Além de representar a ampliação dessa indústria no Estado, a produção desses medicamentos vai significar, para o SUS, sensível redução de custos para sua aquisição.”
De acordo com o executivo, a hidroxiureia foi introduzida na lista de
 medicamentos estratégicos na ultima reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (Gecis), o que o coloca como potencial participante do sistema de Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs) – acordos de transferência de tecnologia entre laboratórios privados e públicos – e o qualifica para compra centralizada por parte do Ministério da Saúde. A Bahiafarma pleiteia que os outros dois medicamentos também passem a integrar a lista de medicamentos estratégicos.

“Além disso, serão criados empregos qualificados no interior da Bahiafarma, haverá domínio local de um processo tecnológico avançado e estratégico e o Estado passará a ter uma nova e importante fonte de receita, contribuindo, ainda mais, para a descentralização do Complexo Industrial da Saúde no País”, ressalta Ronaldo Dias.


Óculos do Lafepe em exposição na HospitalMed

A estrutura do Lafepe para produção e fornecimento de óculos está em exposição na HospitalMed. A 4ª feira de produtos, equipamentos, serviços e tecnologia para hospitais, farmácias e clínicas acontece no Centro de Convenções de Pernambuco, sempre das 14h às 21h, até amanhã.
O evento, considerado o maior do segmento hospitalar do Norte/Nordeste, reúne 160 expositores de vários estados. As novidades apresentadas por eles devem atrair um público estimado em 15 mil pessoas.



A HospitalMed conta, ainda, com muitas opções de palestras. Confira a programação completa no site www.feirahospitalmed.com.br


Parque tecnológico do Tecpar em Jacarezinho pode virar fazenda inteligente

O Parque Agroindustrial do Tecpar, campus do Instituto de Tecnologia do Paraná em Jacarezinho, pode virar uma fazenda inteligente com um laboratório experimental de tecnologias inovadoras voltadas ao agronegócio. A nova diretriz está sendo delineada junto a representantes do Governo do Estado e do setor produtivo para dinamizar a economia da região.
Na manhã desta quinta-feira (18), se reuniram na sede do Sebrae-PR para debater o assunto o diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, o secretário da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), João Carlos Gomes, o secretário da Secretaria do Planejamento e Coordenação Geral (Sepl), Cyllêneo Pessoa Pereira Júnior, o diretor-superintendente do Sebrae-PR, Vitor Roberto Tioqueta, e o diretor de Operações da instituição, Julio Cezar Agostini.

Durante a reunião, que abordou vários temas de interesse da economia do Paraná, o diretor de Operações do Sebrae-PR relatou a experiência italiana com uma “Smart Farm”, uma fazenda experimental de novas tecnologias para o agronegócio, que pode servir de inspiração para o parque tecnológico.

Na “Smart Farm” italiana, uma área de um hectare foi transformada para abrigar nove diferentes cultivares integrados a processos de irrigação, energia solar e estufas, de maneira que se permita o estudo de ações sustentáveis para o agronegócio. “Dessa forma, estuda-se a aplicação de diferentes tecnologias dentro do laboratório, junto a empreendedores e acadêmicos, para levar essas soluções ao mercado”, explica Agostini.
De acordo com o diretor-presidente do Tecpar, a ideia, que já foi trabalhada com o Sebrae-PR em reuniões anteriores, vai ao encontro do plano do instituto para o parque, relacionando-se com as competências da região. “A intenção é levar algo totalmente inovador para o Norte Pioneiro, empoderando a comunidade empresarial e acadêmica local para a gestão colaborativa do parque com diversas ações. A participação dos secretários de Estado mostra uma importante aliança para a mobilização da ideia”, pontua Felix.

Um grupo de trabalho, composto por especialistas de cada uma das instituições, foi instituído para dar continuidade às ações. No início de setembro, o diretor de Operações do Sebrae-PR vai liderar uma comitiva para mobilizar a sociedade local em torno da nova ideia para o parque tecnológico. “É uma integração importante com o objetivo de fortalecer a inovação no nosso estado”, ressalta Agostini.

Planejamento e inovação
A ideia conta com o apoio de duas secretarias fundamentais ao apoio à inovação, salienta o diretor-presidente do Tecpar. O secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior reforça que as universidades estaduais, em especial a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), podem contribuir com a experiência. “Essa parceria é importante para criar novas soluções inovadoras para a agricultura paranaense e para mobilizar a região do Norte Pioneiro com tecnologia inteligente para o campo”, destaca Gomes.

O secretário de Planejamento afirma que a “Smart Farm” é uma ação que pode trazer resultados de longo prazo para o Paraná. “É um bom programa para a região, com potencial de atração de investimentos para o desenvolvimento de projetos dentro do parque tecnológico”, analisa Pereira Júnior.

Participaram ainda da reunião o gerente da Agência Tecpar de Inovação, Marcus Zanon, e o gerente do setor de Relações Comerciais do Tecpar, Arthur Souza.




Funed participa do Momento Institucional do Programa de Atração de Investimentos e Promoção Comercial de Belo Horizonte: o Goal Belo! 2016


A diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Esther Bastos, participa, nesta sexta-feira (19/8), como palestrante, do Momento Institucional do Programa de Atração de Investimentos e Promoção Comercial de Belo Horizonte: o Goal Belo! 2016, promovido pela Secretaria Municipal Adjunta de Relações Internacionais, da Prefeitura de Belo Horizonte.

O evento será realizado no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BHTEC) e a palestra da diretora terá início às 8h, abordando os programas de incentivo à inovação e as ações e serviços que estruturam a Funed.

O Goal Belo! utiliza os momentos em que a cidade está em evidência no cenário internacional e traz tomadores de decisões e formadores de opinião (executivos, jornalistas, especialistas) para participarem de uma agenda que concilia diversas atividades, onde os convidados podem relacionar-se e interagir com a cidade, com o objetivo macro de atrair investimentos para Belo Horizonte.

Estarão presentes, além da Funed, stakeholders e parceiros locais de toda a cadeia produtiva do setor de biotecnologia.








Em debate no Senado: produtos para saúde no Brasil

Em debate no Senado: produtos para saúde no Brasil
No dia 1º de setembro, o Senado Federal recebe o III Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil. O evento tem como objetivo aprimorar ações para a sustentabilidade do setor e a promoção da saúde com qualidade de vida

Os produtos para saúde estão ligados diretamente ao cotidiano da população, sendo utilizados em procedimentos médicos, odontológicos e fisioterápicos. A área se expande, inova e ocupa espaço cada vez mais importante na economia brasileira. Com objetivo de ampliar a discussão de temas que envolvem a pesquisa, a produção e a implementação de novos produtos e tecnologias no campo da saúde, o Programa Ação Responsável realiza, no dia 1º de setembro, em Brasília, a terceira edição do Fórum Nacional de Produtos para Saúde. Dividido em três painéis temáticos distintos - “Inovação é Acesso”, “Ética é Acesso” e “TI é Acesso” -, o evento promete movimentar o auditório do Interlegis (Senado Federal). O fórum já está com inscrições abertas pelo site www.acaoresponsavel.org.br. A adesão é gratuita.

Formada por um grande universo de itens, com diferentes níveis de complexidade, a área de produtos para saúde demanda constantes investimentos em pesquisa, fundamental para a ampliação do acesso pela população, bem como para atrair recursos no cenário nacional. Atualmente, a indústria desses produtos representa 3,7% dos gastos em saúde. Porém, fatores como a crise econômica influenciaram na queda desse mercado nos últimos anos, o que traz à tona a necessidade urgente de se ampliar as parcerias entre os setores público e privado. Nesse contexto, discutir a temática e qualificar nichos de inovação, com atenção especial à promoção de serviços de qualidade aos brasileiros, é de fundamental importância.

O fórum reúne representantes de instituições do governo, do setor produtivo, da comunidade acadêmica e da sociedade civil, bem como prestadoras e operadoras de planos de saúde, com o intuito de estimular a pesquisa e o desenvolvimento utilizando as novas tecnologias disponíveis no mercado nacional, bem como as que podem ser incorporadas.

Serviço: III Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil
Local: auditório Senador Antônio Carlos Magalhães (Interlegis, Senado Federal)
Data: 1º de setembro de 2016, quinta-feira
Realização: Instituto Brasileiro de Ação Responsável
Coordenação: Agência Íntegra Brasil
Parceiras: Congresso Nacional; Ministério da Saúde; Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD; Agência Íntegra Brasil e Interlegis
Patrocínio: ABIIS
Inscrições gratuitas pelo site www.acaoresponsavel.org.br

Comunicação | Ação Responsável
Fones: (61) 3573-4992, 9114-4584 e 9170-0606
Denise Margis e Marina Figueiredo

Tecpar certifica sistemas de gestão de qualidade, meio ambiente, saúde e segurança ocupacional


Empresas de todos os portes podem ganhar um diferencial competitivo ao buscar certificar seus sistemas. O Tecpar Certificação, divisão do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) responsável pela certificação de produtos e sistemas, atua em diversas frentes para prestar serviços de certificação de sistemas para companhias de todo o Brasil. Entre as soluções oferecidas estão a certificação nas áreas de gestão de qualidade, de meio ambiente e de saúde e segurança ocupacional.

Empresas de todos os segmentos e tamanhos podem buscar as soluções do Tecpar Certificação, explica a gerente da unidade, Tania Carvalho. Segundo ela, a primeira acreditação da certificadora tem quase 20 anos e, desde então, a unidade é uma das instituições mais respeitadas do Brasil na área de certificação.

“Temos 23 escopos de atuação para que empresas de todos os portes possam ter seus sistemas certificados por nós. Como a implantação dos sistemas de gestão é voluntária, as empresas que buscam se certificar ganham um diferencial para concorrer no mercado”, salienta Tania.

Em sistemas, o Tecpar Certificação certifica Sistema de Gestão da Qualidade (NBR ISO 9001), Sistema de Gestão Ambiental (NBR ISO 14001), Conformidade SiAC pelo PBQP-H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat), LIFE (Avaliação dos impactos à biodiversidade por parte da organização), Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (OHSAS 18001) e Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade (SASSMAQ – Módulo Rodoviário).

A equipe é do Tecpar Certificação para a área de sistemas é composta por quatro colaboradores internos, que atuam diariamente com a certificação de sistemas, e 30 auditores credenciados. A gerente da unidade ressalta que desde sua primeira acreditação, o Tecpar vem ampliando a abrangência das suas atividades na área de certificação e auxiliando as empresas a se tornarem mais competitivas.

“Atuamos como um organismo independente, que atesta que sistemas estão em conformidade com requisitos nacionais, estrangeiros ou internacionais. Os programas de avaliação e certificação da conformidade estão estruturados em padrões internacionais, garantindo um processo reconhecido e seguro”, destaca Tania.

Tecpar Certificação
O Tecpar Certificação é a unidade do instituto responsável pela certificação de produtos e sistemas e atua há quase 20 anos em todo o Brasil. A certificação de produtos do Tecpar Certificação inclui componentes elétricos e de telecomunicações, eletrodomésticos, produtos orgânicos e produção integrada de frutas, cadeia de custódia, sacos de papel e unidades armazenadoras.


Para mais informações sobre a unidade de negócios do Tecpar, acesse www.tecparcert.com.br.






Incubadora do Tecpar seleciona 12 empresas para o campus do Norte Pioneiro

A unidade de Jacarezinho da Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) está com 12 vagas abertas para o processo seletivo de empresas inovadoras que queiram participar do programa de incubação do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). A incubadora fica no campus Jacarezinho do instituto, que integra o Parque Tecnológico do Norte Pioneiro (PTNP).

Neste ano, estão sendo ofertadas seis vagas para a modalidade de incubação residente (quando a empresa fica nas dependências da Intec) e outras seis para a incubação não residente, quando o empresário não se instala na incubadora, mas conta com o apoio dos especialistas do instituto.

Gilberto Passos Lima, gerente da Intec, ressalta que a incubadora do Tecpar, por estar dentro de um parque, pode facilitar o desenvolvimento de novos produtos e serviços. Ele pontua ainda que após a consolidação da empresa incubada, ela pode então se candidatar a se instalar no parque tecnológico, onde terá apoio para projetos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I).

Lima salienta ainda que a unidade da Intec em Jacarezinho está em um ambiente propício à inovação, devido à proximidade de instituições de ensino técnico e superior e ainda ao incentivo ao desenvolvimento industrial no município. “Há várias iniciativas empreendedoras em Jacarezinho e os estudantes de instituições como a Universidade Estadual do Norte Pioneiro e o Instituto Federal do Paraná podem viabilizar seus projetos na Intec. O Norte Pioneiro está despontando como uma área de criação de novos negócios inovadores”, destaca o gerente da Intec.

Para concorrer a uma das vagas, o candidato deve comprovar que cumpre nove requisitos, como inovação tecnológica, infraestrutura de P&D e competência da equipe, por exemplo.

Custos
O valor mensal a ser pago pela empresa incubada depende do modelo de incubação e da etapa do processo de incubação em que a empresa se encontra. A incubada residente, por exemplo, ao usar espaços exclusivos da Intec, tem o custo mensal de R$ 66 por metro quadrado utilizado. Já a incubada não residente pagará mensalmente o valor-base de R$ 1.280, com desconto de 70% no valor da mensalidade durante o período de implantação.

Etapas
Durante o programa de incubação a empresa passa por quatro níveis de maturidade: Implantação (estruturação da empresa), Crescimento (expansão dos negócios), Consolidação (início da sustentabilidade financeira) e Liberação (com o aumento da fatia do mercado e posterior graduação da incubadora). A partir do início da etapa de Consolidação até o final da etapa de Liberação, a incubada passa a pagar mensalmente ao Tecpar uma retribuição ao incentivo que correspondente a 3% do faturamento bruto mensal da empresa.

Intec
Empreendedores que queiram participar do programa de incubação do Tecpar podem fazer, ao longo do ano, a inscrição para concorrer a uma vaga em uma das duas unidades da Intec, em Curitiba e em Jacarezinho.

Podem participar do processo de incubação pessoas físicas, como universitários, pesquisadores e empreendedores que tenha um negócio inovador, ou ainda pessoas jurídicas. Ao longo de 27 anos, a Intec já deu suporte tecnológico a mais de 90 companhias. No momento, cinco empresas passam pelo programa de incubação: Beetech/Beenoculus, LOT América, Werker, i9algo e Invento Engenharia.
Conheça a Intec pelo site intec.tecpar.br/comoincubar




Novo caminhão do Projeto Ciência em Movimento participa do Inova Minas Fapemig

O novo caminhão do Projeto Ciência em Movimento estará presente na segunda edição da Mostra Inova Minas Fapemig, que acontece nos dias 5 a 7 de agosto, das 10h as 17h, no Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. O caminhão, que leva conhecimento científico e tecnológico para as cidades mineiras, estará estacionado na Alameda da Educação, localizada entre rua Gonçalves Dias e a Avenida Bias Fortes, na Praça da Liberdade.

O Programa foi criado em 2012 pela Funed, com o objetivo de difundir e popularizar a ciência por todo o estado. O caminhão leva informação, através de linguagem lúdica e popular, estabelecendo uma relação de diálogo entre os pesquisadores e a sociedade e entre ciência, saúde e cultura.

Novo caminhão

Esta será a primeira exposição com o novo caminhão, cujo projeto conta com um veículo com maquetes virtuais que mostram como é feita a produção de soros e o que é feito nos laboratórios de pesquisa da Funed, sala de projeção e microscópios adaptados para o espaço. O veículo conta com uma área de aproximadamente 70m², com diversas atividades interativas e novas instalações. Os visitantes terão acesso também a três tótens informativos (monitores touch que permitirão interação por meio de jogos virtuais) com os temas animais peçonhentos, biodiversidade e uso de medicamentos. Será possível, ainda, observar serpentes e colmeias interativas, através do sistema vídeo mapeado (projeção de imagens em impressões 3D).

A diretora de Pesquisa e Desenvolvimento da Funed e coordenadora do Programa Ciência em Movimento, Esther Bastos, explica que “a ideia é que o caminhão seja a própria área expositiva, diminuindo o trabalho da equipe com montagem e desmontagem, proporcionando à população exposições mais longas, que atendam um grupo maior de visitantes”, diz.
No ano de 2015, mais de 36 mil pessoas visitaram as 20 exposições itinerantes, realizadas em 15 cidades mineiras. Neste ano, o programa já passou por Itaobim, Coronel Murta, Montes Claros e Florestal.

2º Mostra Inova Minas FAPEMIG

A segunda edição da Mostra Inova Minas, promovida pela própria Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), conta com a exposição de 40 projetos e atividades simultâneas em cinco espaços, que compõem o Circuito Liberdade: Alameda da Educação, Memorial Minas Vale, Museu das Minas e do Metal (MM Gerdau), Espaço do Conhecimento UFMG e Casa Fiat de Cultura.

A Mostra visa difundir o trabalho realizado pelas universidades, centros de pesquisa e empresas para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação, junto à sociedade, através da exposição de projetos financiados pela Fapemig.

 



Tecpar garante qualidade de seringas a escovas de dente

Quando alguém vai coletar sangue para exames ou fazer um procedimento no dentista nem imagina que todos aqueles equipamentos tiveram que ser desenvolvidos, ensaiados e certificados para chegar até as clínicas. O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) é uma das instituições que realiza desenvolvimento e ensaios em materiais e equipamentos médico-odonto-hospitalares, para garantir a qualidade dos produtos que são usados na área da saúde.
O Centro de Tecnologia de Materiais é a unidade do Tecpar que realiza esses serviços. Para chegar ao mercado, os produtos odontológicos e hospitalares precisam atender legislações específicas de cada material, explica o gerente do centro, Marco Antonio Netzel. “Nossos laboratórios realizam então ensaios para conferir se os produtos que são comercializados pelas empresas atendem os requisitos normativos necessários e, se não atendem, quais as soluções tecnológicas são necessárias para que o produto esteja em conformidade”, afirma.

Após os ensaios, feitos por especialistas na área, relatórios são enviados aos empresários, atestando a qualidade ou propondo melhorias de processo e produto para o atendimento das normas, especificações e legislações, salienta Netzel. “Dessa forma, os produtos chegam aos hospitais e clínicas odontológicas com qualidade adequada para cada aplicação e para utilização dos pacientes”, ressalta o gerente do centro.

Entre os materiais da área médico-odonto-hospitalar que são avaliados pelo Tecpar estão, por exemplo, seringas, agulhas, cateteres, escalpes e equipos de infusão e transfusão.
O diretor de Desenvolvimento Tecnológico do Tecpar, Reginaldo Joaquim de Souza, lembra que o instituto tem uma moderna infraestrutura de laboratórios e especialistas em diversos ramos que atendem os empresários para garantir a qualidade dos produtos ou ainda para inovar.

"Utilizamos ferramentas tecnológicas e ensaios laboratoriais para oferecer as melhores soluções aos empresários. Nossa equipe tem competência multifuncional para avaliar se as tecnologias utilizadas pelas empresas atendem aos requisitos e normativas e dessa forma atestamos sua qualidade", ressalta.

Soluções Tecnológicas
Quatro grandes áreas são foco dos negócios dos centros tecnológicos do Tecpar: Saúde e Meio Ambiente, Tecnologia em Materiais, Medições e Validação e Informações Tecnológicas. O Centro de Tecnologia de Materiais, por sua vez, é focado no atendimento de empresas nos segmentos de cadeia produtiva de materiais metálicos, poliméricos, médico-odonto-hospitalares, e de sinalização viária, energias e madeiras e móveis.

Interessados em conhecer as soluções tecnológicas desenvolvidas pelo Tecpar podem acessar o site portal.tecpar.br/solucoes-tecnologicas.






Preço abusivo de vacina da dengue deve ser denunciado

Entre R$ 132,76 e R$ 138,53. Estes são os valores máximos que clínicas de vacinação podem cobrar do consumidor por cada dose da vacina da dengue, produzida pela empresa Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. A pequena variação do teto do “Preço Fábrica” (PF) que o produto poderá ser comercializado reflete as diferentes alíquotas do ICMS vigentes no Brasil.

De acordo com regras da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), que é a autoridade brasileira para a regulação de preços de medicamentos, as clínicas e serviços de imunização devem repassar ao consumidor a vacina pelo preço exato pelo qual foi adquirida pelo fabricante. No entanto, estes estabelecimentos podem cobrar pelo serviço prestado para aplicação e armazenamento da vacina. 

Para evitar cobrança abusiva, o consumidor deve pedir a discriminação do preço cobrado pela vacina e pelo serviço prestado em nota fiscal. 

Se o preço cobrado for maior que o teto máximo estabelecido pela CMED, o estabelecimento estará sujeito a sanções, como multa, que pode variar entre R$ 590 e R$ 8,9 milhões. As denúncias relacionadas ao preço da vacina deverão ser encaminhadas para o email cmed@anvisa.gov.br. É importante encaminhar, também, as comprovações do abuso.

Caso o consumidor sinta-se lesado por uma cobrança abusiva pelo serviço de aplicação da vacina, deverá procurar os órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, Ministério Público e demais entidades civis de defesa do consumidor.


Confira o Preço Fábrica (PF) que poderá ser cobrado pela vacina da dengue, de acordo com o ICMS de cada estado:
17% (demais estados)
17,5% (RO)
18% (AM, AP, BA, MA, MG, PB, PE, PR, RN, RS, SE, SP e TO)
20% (RJ)
R$ 132,76
R$ 133,69
R$ 134,63
R$ 138,53



Programa Quarta às Onze apresenta pesquisas na área da saúde desenvolvidas na Funed


Com o objetivo de discutir e apresentar os estudos científicos desenvolvidos dentro da Fundação Ezequiel Dias (Funed), a Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD), criou o programa Quarta às Onze. Com vários pesquisadores e jovens bolsistas, a Funed, que é uma instituição pública voltada para a saúde, conta com uma vasta gama de pesquisas em várias áreas.

O programa passou a ser coordenado em 2016 por Lívia Gardoni, do Serviço de Recursos Vegetais e Opoterápicos e Carolina Moreira, do Serviço de Fitoquímica e Prospecção Farmacêutica. Gardoni informa que foram realizados 93 seminários, de agosto de 2013 até o mês de julho de 2016. “O programa é, também, um momento de integrar e agregar conhecimento, visando a divulgação de trabalhos dos colegas e, também, para dar abertura à sugestões e contribuições dos setores envolvidos”, esclarece.

Gardoni diz que o intuito dos encontros para este ano é, além de dar enfoque à inovação, buscar a integração de todas as áreas da Funed. “Convidamos para participar dos encontros, servidores que estão em fase de conclusão ou concluíram o mestrado ou doutorado. Pesquisadores da Fundação, também são convidados para palestrar, como foi o caso da servidora Luciana Silva, que desenvolveu uma startup, com projeto na área do câncer de ovário”, conta.

Inovação

O programa Quarta às Onze é realizado às quartas-feiras e o palestrante tem aproximadamente 20 minutos para apresentar sua pesquisa. Depois, é aberto um espaço para perguntas e os temas discutidos são variados, mas Gardoni fala que a prioridade são os assuntos na área de inovação e que tenham alguma ligação com o que é desenvolvido na Funed.

Lívia diz que apesar da maioria dos palestrantes serem servidores da Fundação, pesquisadores de outras instituições também são convidados, dependendo relevância de sua pesquisa para o seminário. “A importância de um profissional de fora para a nosso seminário é a possibilidade da troca de experiências e informações, complementa o trabalho e pode gerar parcerias”, destaca.



Tecpar e Butantan firmam acordo para atender o Sistema Único de Saúde

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e o Instituto Butantan firmaram um protocolo de intenções com o objetivo de realizar parcerias em projetos de interesse do Ministério da Saúde e do Complexo Industrial da Saúde. Com esse acordo, as duas instituições podem trabalhar em conjunto na produção de vacinas, anticorpos monoclonais, kits diagnósticos e hemoderivados.

Pelo acordo, as duas instituições buscam formar parcerias para transferir e absorver tecnologias para o desenvolvimento de projetos na área da saúde, salienta o diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix. “As duas instituições unem estruturas e competências para atender as demandas de saúde pública brasileira, em especial o Sistema Único de Saúde”, pontua.

A parceria entre os laboratórios oficiais do governo federal, inclusive, é um pedido feito recentemente pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, que busca, com essa aproximação das instituições, dar mais eficiência à produção de medicamentos no país.

Segundo Felix, acordos como o firmado com o Butantan podem dar celeridade aos processos de transferência de tecnologia por meio de projetos de Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), mecanismo utilizado pelo Ministério da Saúde para que laboratórios públicos produzam no país, em parceria com empresas privadas, medicamentos e produtos para a saúde, que hoje são importados. “É um avanço para produzir no Brasil produtos de alto valor agregado e ainda aqueles negligenciados pela indústria farmacêutica privada”, ressalta.
O protocolo de intenções entre as duas instituições tem validade de trinta meses.

Tecpar
O Tecpar tem 76 anos de atividade e atua em quatro pilares: Soluções Tecnológicas, oferecendo ao mercado ensaios laboratoriais e serviços tecnológicas em apoio às empresas que buscam inovar; Empreendedorismo Tecnológico Inovador, com a Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec), que já apoiou mais de 90 empresas; Educação, na área não-formal, com cursos de qualificação para o mercado privado e ainda com desenvolvimento de capacitações para servidores municipais de prefeituras paranaenses; e Indústria Farmacêutica e Biotecnológica, com desenvolvimento de kits diagnósticos veterinários, vacina antirrábica e produção de medicamentos de alto valor agregado para a saúde pública brasileira.
Saiba mais sobre o Tecpar pelo site portal.tecpar.br.

Instituto Butantan

O Instituto Butantan é o principal produtor de imunobiológicos do Brasil, responsável por grande porcentagem da produção nacional de soros hiperimunes e grande volume da produção nacional de antígenos vacinais, que compõem as vacinas utilizadas no Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. As atividades de desenvolvimento tecnológico na produção de insumos para a saúde estão associadas basicamente à produção de vacinas, soros e biofármacos para uso humano.






Saúde cumpre meta de acesso aos novos medicamentos para hepatite C

No Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, o Ministério da Saúde lançou nova companha de prevenção contra a doença, com foco no diagnóstico

O Ministério da Saúde vai superar a meta de distribuir 30 mil tratamentos para hepatite C no último ano. Desde 2015, foram enviados para todo o país 23.599 tratamentos, sendo que outros 6.925 tratamentos já foram aprovados e serão encaminhados aos estados nas próximas semanas. Uma nova compra de 35 mil novos tratamentos já está em andamento para distribuição até final de 2016. Apenas no primeiro semestre deste ano, mais de 15 mil pessoas já foram beneficiadas. Além de apresentar este resultado, o Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (28), durante Reunião Ordinária da Comissão IntergestoresTripartite, a nova a campanha de prevenção às hepatites virais de 2016, que terá foco no diagnóstico da doença.

O anúncio faz parte da comemoração do Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, criado em 2010, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a partir de uma iniciativa e proposta brasileiras.

No total para, são 30.524 tratamentos, o que supera a meta estabelecida ano passado. Este montante teve um investimento de R$ 1,028 bilhões. A nova compra de medicamentos, que está em finalização no Ministério da Saúde, oferecerá 35 mil tratamentos.  “Vamos continuar essa política que o Brasil sempre foi protagonista, ampliando acesso. Evidentemente queremos disponibilizar a terapia a todos e continuaremos com um esforço muito grande de economia no Ministério para fazermos muito mais com o recurso disponível”, ressaltou o ministro da saúde, Ricardo Barros.

O novo tratamento para Hepatite C, com os medicamentos simeprevir, sofosbuvir e daclastavir foram incorporados no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2015, como a publicação do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Hepatite C e Confecções. Com essa estratégia, o Brasil assumiu a vanguarda da oferta no SUS desta terapia. “Agradecemos aos inúmeros movimentos de apoio que existem no Brasil, que, junto com as ações do Ministério, fazem com que essa política seja de inclusão e atenção importante para o país”, completou o ministro.

As medicações beneficiam pacientes que não podiam receber os tratamentos ofertados anteriormente, entre eles os portadores de coinfecção com o HIV, cirrose descompensada, pré e pós-transplante.

Campanha – Neste ano, o tema da campanha publicitária de prevenção às Hepatites é: “Hepatite C – O teste pode salvar a sua vida”. A campanha prioriza a importância do diagnóstico. Nos últimos dois anos, mais de 5,5 milhões de testes rápidos para hepatite C foram distribuídos. A campanha ainda ressalta que a hepatite C, tem tratamento e tem cura.
As mensagens serão dirigidas à população com mais de 40 anos de idade, faixa etária onde registra maior taxa de detecção. Essas pessoas, em geral, foram expostas a cirurgias de grande porte, transfusões de sangue, fizeram tatuagem ou uso de drogas injetáveis antes de 1993. A campanha contará com filme para televisão, spots de rádio, estratégia de internet, mobiliário urbano, assim como materiais gráficos (cartazes e folder) que serão disponibilizados on-line para reprodução.

“O diagnóstico precoce e o novo tratamento ofertado no SUS irão evitar consequências mais sérias às pessoas que vivem com a hepatite C no país, como cirrose, câncer e até mesmo a morte. Garantido pelo SUS e comprovadamente eficaz, o novo tratamento demonstra a prioridade que temos dados às hepatites no ministério”, enfatiza Ricardo Barros.

A campanha também tem como alvo, profissionais de saúde, profissionais de estética, manicures e tatuadores. As peças irão mobilizar a população a procurar os serviços de saúde para realizar a testagem. E, em caso positivo para a doença, iniciar e completar o tratamento.

HEPATITE C – Atualmente no Brasil, de 1,4 a 1,7 milhão de pessoas são portadores de Hepatite C. A doença pode ser transmitida pelo contato com sangue contaminado (transfusão de sangue e hemoderivados, sexo desprotegido e compartilhamento e objetos de uso pessoal como agulhas de tatuagem, alicates e tesouras). Não existe vacina contra a hepatite C, mas o tratamento é eficaz e disponível no SUS.

A diretora do Departamento de Vigilância, prevenção e controle das DST, AIDS e Hepatites Virais, Adele Benzaken alerta sobre a importância da notificação da doença para verificar precocemente a doença. “Estados e municípios precisam estar vigilantes e estimular sempre a notificação. O número de pessoas é uma estimativa, daí a importância da vigilância que subsidia o cálculo de quanto é preciso investir em medicação”, afirmou diretora.

PANORAMA – No Brasil, 514.678 mil pessoas convivem com o vírus das hepatites virais. Destes, 161.605 (31,4%) são referentes aos casos de hepatite A, 196.701 (38,2%) de hepatite B, 152.712 (29,7%) de hepatite C e 3.660 (0,7%) de hepatite D.
Com relação aos óbitos, de 2000 a 2014 foram identificados no país, 56.335 mortes associados às hepatites virais: 1,8% hepatite viral A; 21,9% à hepatite B; 75,2% à hepatite C e 1,1% à hepatite D.

Por Nivaldo Coelho, da Agência Saúde
(61) 3315.3580 / 3435


Ministro da Saúde visita o Tecpar para conhecer projetos na área da saúde

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, esteve em visita ao Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), na manhã desta terça-feira (26), e participou de uma reunião com um futuro parceiro do Tecpar para a produção de medicamentos.

O ministro foi recepcionado pelo diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix. Durante a reunião, um memorando de entendimentos foi assinado junto ao laboratório farmacêutico NTPharm, para estudar a possibilidade de parceria para a produção conjunta de medicamentos que atendam o interesse do ministério.

Na oportunidade, o ministro conheceu ainda a produção biotecnológica e farmacêutica do instituto. Na área da saúde, o Tecpar atua com o desenvolvimento de kits diagnósticos, a vacina antirrábica e com a produção de medicamentos para a saúde pública brasileira.

Além disso, no Campus Tecnoparque de Maringá está em construção a unidade de Produção de Medicamentos, cujas instalações vão abrigar a produção de medicamentos biológicos, utilizado no tratamento de diversos tipos de câncer e outras enfermidades. O funcionamento da unidade se dará por meio de uma Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), programa do Complexo Industrial da Saúde, também para fornecimento ao Ministério da Saúde.